Instalados em grandes galpões em avenidas, marginais ou áreas afastadas do centro da cidade, os atacarejos tem sido a descoberta, o refúgio e o oásis de muitas famílias em tempos de instabilidade econômica.

DSOP Educação Financeira Consumidores descobrem atacarejos

Criados inicialmente com o conceito de atrair pequenos empreendedores e comerciantes, como donos de restaurantes, lanchonetes e pizzarias, hoje estes estabelecimentos misturam atacado e varejo com apelo de ter preços baixos devido a estrutura enxuta e ao alto volume de vendas.

Longe de qualquer sofisticação – visando atender o consumidor mais focado no preço do que na experiência da compra – esse modelo de negócio ganhou força nos últimos anos e vem se consolidando cada dia mais. Para se ter uma ideia, em 2016, no ápice da crise, este formato de negócio cresceu 14%, de acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo.

É inegável que este crescimento se deve ao consumidor, que em busca de preços mais baixos descobriu nos atacarejos vantagens bastante expressivas, por isso troca a sofisticação e organização de um hipermercado pela economia.

A grande variedade de marcas e produtos, aliada a estratégia de ter dois preços para um mesmo produto – mais barato para quem leva grandes quantidades (atacado) e outro para compras avulsas (varejo) – atrai consumidores com perfis diferenciados, que têm descontos expressivos nas duas opções. Por isso estima-se uma média de 25% a 30% de economia no total da compra.

Uma boa estratégia que pode ser aplicada neste tipo de estabelecimento para aproveitar mais ainda os descontos do atacado é se programar para comprar alimentos não perecíveis e artigos de higiene e limpeza suficientes para um mês. Além disso, aproveitar a variedade de marcas e experimentar produtos mais baratos pode gerar boa diferença no orçamento do mês.

O atacarejo tem se tornado um canal de compras importante e interessante para todos os níveis socioeconômicos e observa-se que devido a sua boa aceitação, esse movimento migratório não deverá ser revertido depois que a crise passar. Os números têm atestado que os consumidores estão se atentando mais do que nunca aos seus orçamentos e se acostumando aos benefícios de se pagar menos por suas compras, uma excelente mudança de hábito.

E você, já teve a curiosidade de comprar em um atacarejo?

DSOP Educação Financeira Consumidores descobrem atacarejos  DSOP Educação Financeira Consumidores descobrem atacarejos
Mirian Médici Rondina
Educadora Financeira da DSOP Educação Financeira

- Bacharel em Economia pela Universidade Mackenzie, com Pós-Graduação em Tecnologia da Informação;

- Experiência em Escritório de Projetos, Planejamento Estratégico de TI e Gestão de Sistemas Financeiros no Mercado Corporativo, nos segmentos de Bancos, Cartões, TV, Indústria e Educação;

- Educadora Financeira habilitada e certificada pela DSOP;

- Membro da ABEFIN – Associação Brasileira de Educadores Financeiros.

DEIXE SEU E - MAIL E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS