O primeiro passo é sempre o mais difícil. Enfrentar uma realidade desconfortável, como dívidas, exige coragem, autonomia e vontade. A autossabotagem, zona de conforto e a procrastinação são características presentes nos seres humanos que retardam as mudanças que precisam acontecer.

DSOP Educação Financeira Mapeei minhas dívidas. E agora?

Como o dinheiro não é diferente, extremamente comportamental, gastar menos do que ganha e se tornar investidor requer atitudes diferentes para ter resultados diferentes, simples assim.

O primeiro passo já foi dado, as dívidas foram mapeadas, assim, dando sequência a série de artigos sobre dívidas e empréstimos, quero aqui compartilhar algumas reflexões que precisam ser feitas por toda aquelas pessoas que almejam a condição de investidor.

Então vamos a elas:

1) Qual o impacto das dívidas no meu orçamento?

Analise o valor total e o peso que suas dívidas têm no seu salário. Após receber seus ganhos, veja o quando sobra para você “passar o mês”. Você deve perceber o quanto suas escolhas passadas, que se transformaram em parcelas fixas, estão impactando nas decisões futuras. Estar com sobrecarga de dívidas afeta não somente seus ganhos, mas também sua saúde, trabalho e família.

2) Quando devo tomar um novo crédito?

A decisão final deverá ser sempre sua, todavia será um grande erro não analisar o impacto desse novo empréstimo em seu orçamento. Muitas vezes este dinheiro não soluciona a causa do desequilíbrio financeiro, apenas retarda a sua mudança de comportamento para uma organização financeira efetiva.

3) Qual dívida devo pagar primeiro?

Primeiro, independente da dívida, se você juntou todo o dinheiro para realizar a quitação, não deixe de negociar. Segundo, dê preferência para as dívidas que possuem bens em garantia, como carro, moto, casa e outros. Terceiro, pague as dívidas com os juros mais altos, como cartão de crédito, cheque especial e empréstimos com terceiros.

4) Paguei minhas dívidas. Qual é o próximo passo?

Se você deixou a condição de endividado, precisa imediatamente alinhar em sua vida, seus sonhos de curto, médio e longo prazo. Quem possui sonhos claros e bem definidos, ou seja, quem sabe onde quer estar daqui há um, 5 ou 10 anos, muito provavelmente não será um endividado. Planejar-se para seus objetivos é a maior arma contra o endividamento descontrolado. Lembre-se, pior que estar endividado é não ter sonhos.

5) Como montar um plano de ação para o meu primeiro sonho?

Essa pergunta se responde com outras. Por exemplo: qual é o meu sonho? Quanto custa? Quanto posso poupar mensalmente para realizar? Em quanto tempo vou realizar? Ao responder essas perguntas, seu plano de ação estará montado. Agora é só eliminar as dívidas, conforme foi ensinado em outros artigos, e começar a poupar.

Por fim, não desista, acredite em você e mude a sua relação com o seu dinheiro. Ser uma pessoa descontrolada financeiramente é deixar o tempo passar e não aproveitar com maestria o dinheiro que passa por suas mãos.

Se empodere e realize todos os seus sonhos/objetivos com educação financeira e, não esqueça, ser investidor – gastar menos do que se ganha – é condição necessária para que suas escolhas se concretizem.

DSOP Educação Financeira Mapeei minhas dívidas. E agora?  DSOP Educação Financeira Mapeei minhas dívidas. E agora?
Diego Jorge
Educador Financeiro da DSOP Educação Financeira

Diego Jorge é químico, coach, pós-graduado em educação financeira, educador e terapeuta financeiro. Colunista do Jornal Arealva, palestrante e treinador. Exonerou do serviço público municipal para ser educador exclusivo da Unidade DSOP de Sorocaba. Nas horas vagas gosta de ler sobre investimentos e tocar seu instrumento favorito, o cavaquinho.

DEIXE SEU E - MAIL E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS