Educação Financeira
Tendência

6 hábitos para mudar sua vida financeira definitivamente

Por | Paulo Paquera

Adotar uma nova mentalidade com relação ao dinheiro, pode mudar sua vida financeira. Imagine-se saindo da condição de “superendividado” para “independente financeiramente”, apenas mudando algumas pequenas atitudes?

Porém, existe uma grande dificuldade de as pessoas assumirem hábitos em relação ao consumo, pois a maioria nunca aprendeu a lidar com o dinheiro da forma correta. Isso é um fato.

É por isso que o artigo de hoje foi produzido – com muito carinho e dedicação –, para mostrar 6 mudanças de hábitos simples que vão mudar sua vida financeira para sempre.

Mas antes de você conhecer os caminhos para o sucesso financeiro, saiba quanto precisa para ser, de fato uma pessoa sustentável financeiramente. Até o final deste artigo você saberá exatamente o que precisa fazer para alcançar seus sonhos.

Dito isto, vamos direto ao que realmente importa:

Como mudar a sua vida financeira?

1. Identifique todas as suas dívidas

O primeiro passo é identificar quais suas dívidas e para quem você está devendo. É uma pessoa física, uma empresa ou um produto, como os temidos cartões de crédito?

Faça o levantamento e tenha conhecimento do valor atualizado de cada dívida, incluindo juros, taxas e prazos.           

Faça uma lista em ordem decrescente, considerando as taxas de juros. Assim fica mais claro identificar quais serão as prioridades de pagamento.

2. Entenda sua atual situação financeira

Depois de entender todas as suas dívidas, agora é hora de entender sua atual situação financeira.

Acredite, muitas vezes o descontrole da sua vida financeira causa a ilusão de endividamento, mas basta um olhar estratégico para organizar as coisas e dar um direcionamento para a solução.  

Registre tudo que gastou no período de 30 dias. Tudo que sai dos seus recebíveis nesse período deve ser considerado, desde parcelas de financiamentos até o cafezinho que tomou na rua.

Faça-se os seguintes questionamentos:

– Quanto ganho por mês?

– Quanto gasto por mês?

– Quais suas despesas fixas e variáveis?

– Quanto dinheiro você precisa ter guardado caso tenha algum imprevisto (como o desemprego)?

– Quanto tempo você sobreviveria sem seus ganhos mensais, considerando sua reserva financeira?

Quando conseguir responder todas essas perguntas, já terá um bom esclarecimento do que precisa fazer.

3. Coloque sua família no processo

Todos precisam estar alinhados com os objetivos e sonhos. Os cortes de gastos e a economia dependem da ajuda de cada membro da família.

4. Corte gastos extras e desnecessários

Depois de colocar os passos anteriores em prática, identificar os gastos excessivos se tornará uma tarefa mais simples.

Logo, deve-se apertar o cinto e adaptar alguns custos visando a redução de gastos considerados desnecessários. Faça uma avaliação criteriosa em todas as despesas de casa e pesquise por opções mais em conta.

5. Planeje-se

Nesta etapa, você já possui uma lista de prioridades em relação as suas dívidas, portanto, já sabe exatamente por onde começar a negociar.

Mas antes de bater na porta do seu credor, defina um valor que será reservado para os sonhos e poupe-o religiosamente todos os meses antes de qualquer coisa. Separe essa quantia e guarde na sua reserva financeira – e tenha um objetivo definido para esse dinheiro, ok?

Importante: evite o corte de fornecimento de serviços indispensáveis, como água, luz, plano de saúde.

Agora sim, defina um limite de quanto pode pagar, negocie e assuma a responsabilidade de pagamento apenas se estiver dentro das suas possibilidades financeiras, do contrário, você estará criando apenas mais uma dívida.

6. Siga o plano e comece a poupar

Poupar no começo do mês é uma mudança simples que faz toda a diferença. Quando deixamos para poupar o que sobra, adivinha só, nunca sobra nada para ser poupado.

O ideal é poupar pelo menos 10% de seu salário assim que ele cai na sua conta. Mesmo que inicialmente não dê para poupar esse percentual, comece com qualquer valor, para cultivar o hábito.

Crie uma reserva, de modo que ela consiga te dar tranquilidade financeira de, pelo menos, seis meses.

Além disso, o ideal para uma vida financeira sustentável é ter três outros tipos de poupanças:

– Curto prazo: poupar pensando em realizar os objetivos estabelecidos em até um ano, como uma viagem em família.  

– Médio prazo: poupar pensando em realizar os objetivos estabelecidos para até 10 anos, como comprar uma casa maior.

– Longo prazo: poupar pensando, em realizar os objetivos superiores a 10 anos, como uma aposentadoria tranquila.

Bônus: tenha uma (ou mais) renda extra

E, para finalizar, não poderia ser diferente: para potencializar seus planos, tenha uma renda extra e use os recursos para inflar suas economias, e consequentemente, seus objetivos serão alcançados antes do que imagina.

Esses passos que aprendeu hoje são o início para uma vida financeira saudável, e manter esses hábitos é o que fará você alcançar a sustentabilidade que sempre desejou, seja pessoalmente, seja profissionalmente.

O que achou do conteúdo de hoje? Se estiver pronto para mudar sua vida financeira desde já, utilize essa planilha de orçamento financeiro e comece sua jornada rumo ao sucesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo