Para a realização de nossos sonhos temos de disponibilizar a necessária energia a sua realização, mas como fazemos isso?

Minha primeira experiência a esse respeito foi quando minha filha de 16 anos me questionou sobre por que ela precisava participar dos meus sonhos e não somente nos dela. Refleti muito a respeito, conversei com amigos mais experientes e expliquei a ela que os meus sonhos não poderiam ser realizados se todos em casa não compartilhassem deles, e que os dela seriam mais facilmente realizados também se todos nós estivéssemos em consonância e envolvidos nestes anseios.

Compartilhar as experiências positivas e negativas em família é essencial para o planejamento das ações que levarão a realização eficaz dos nossos objetivos (sonhos!), portanto compartilhe. Além disso, será de grande valia para aproximar os membros de toda a família, atitude muito saudável nos dias de hoje.

Resumindo, não seremos eficazes na realização de nossos sonhos se toda a família não partilhar destes anseios, conseguido isso a energia será multiplicada tornando possível quaisquer ações que sejam necessárias para se alcançar a meta tão almejada.

Acreditem, pois comigo é assim que está acontecendo.

Isto pode ficar mais simples se utilizarmos a Metodologia DSOP, na qual aprendemos a Diagnosticar (D) corretamente quais são as receitas (salários) e para onde vai cada centavo desta durante um determinado período. A letra S (Sonhar) é onde descrevemos todos os nossos sonhos que devem ser de curto (até um ano) de médio (até dez anos) e de longo prazos (até 30 anos). Meu sonho é, meu sonho custa, quanto vou guardar, e em quanto tempo realizarei, são as perguntas básicas que devemos fazer.

Na letra O (Orçar), aprendemos que o orçamento DSOP difere dos demais por colocar os sonhos em primeiro lugar. E na letra P (Poupar), aprendemos que devemos gastar sempre menos do que ganhamos, procurando investir o dinheiro guardado e também comprar à vista e com descontos.