É do conhecimento de todos que nesta época do ano a população brasileira pode contar com uma renda extra no orçamento, o famoso 13º salário, cuja primeira parcela foi paga em 30 de novembro e segunda deverá ser paga até o dia 20 de dezembro.

Segundo estimativas do Banco Central, haverá uma injeção de R$ 115 bilhões na economia considerando as duas parcelas, restando ainda um total de quase R$ 80 bilhões a ser injetado até o dia 20 de dezembro.

É inegável também que nesta época do ano há um forte apelo para o consumo, muitas vezes exagerado e além dos limites e realidade de cada um. É um momento em que o lado afetivo e emocional das pessoas são ativadas automaticamente e muitos saem da razão a fim de fazer um agrado ao amigo, cônjuge, filhos, sogro, sogra, pai e mãe.

Mas, mesmo que você esteja no azul, com as contas em dia, o que lhe permite fazer tal agrado, vale a pena fazer um diagnóstico de sua real situação. Esse diagnóstico deve considerar não só o mês atual que terá como extra a 2ª parcela do 13º. Deve-se considerar sua real situação ao menos nos primeiros três meses seguintes, quando terá uma série de despesas extras.  Isso o ajudará manter o equilíbrio e racionalidade, pois não é nada bom misturar o lado afetivo com dinheiro. Essa combinação costuma não dar certo.

Feito o diagnóstico, será possível conhecer bem sua realidade financeira, suas prioridades, necessidades, assim como seus sonhos e desejos. Realmente, essa é uma boa hora para pensar na realização daquele sonho, pois os nossos sonhos devem ter prioridade em nossas vidas. É importante você atender aos apelos desse sonho e não de um consumismo desleixado que não respeita seu verdadeiro sonho. Lembrando que, dependendo da sua realidade, seu sonho pode ser a aquisição de um novo bem, troca de um modelo mais novo pelo mais antigo, uma viagem ou até mesmo, quitar parte ou todas as suas dívidas.

Definindo qual sonho você realizará é hora de começar a jornada em busca das melhores condições e preços. Se você decidir pagar as dívidas, é hora de buscar um acordo, renegociá-las com seus credores. Caso opte por uma nova compra, e hora de pechinchar. É o que eu chamo de orçar. Dito de outra forma, é saber exatamente quanto custa o seu sonho. Em que condições você pretende comprá-lo. O que eu recomendo que seja à vista e com desconto.

E por fim, além do 13º servir para a realização do seus sonhos, deve ser considerado também a possibilidade de poupar parte desse dinheiro que, como já foi dito antes, poderá ajudá-lo para compor o orçamento dos primeiros três meses do ano, cujos valores não são baixos e, vencem quase tudo na mesma época, tais como: IPTU, IPVA, matrícula e material escolar e uniforme.

Considerando que muitas pessoas entram de férias nesse período do ano, antecipando assim os salários de janeiro, dificultando ainda mais o fechamento das contas mensais, devido ao fato de um retorno ao trabalho, sem o salário ao final do mês de janeiro, as coisas podem piorar ainda mais.

Observe que há inúmeras possibilidades de como utilizar a segunda parcela do seu 13º salário. O que preparamos aqui para você de forma bem simples é que você precisa saber o quanto dispõe de recursos e quanto tem de contas a pagar, o que eu chamo de diagnosticar. Depois, você precisa definir qual é o seu sonho, ou seja, onde você vai aplicar o seu suado dinheirinho. E mais, você precisa saber quanto ele custa, é o que eu chamo de orçar ou orçamento. E, por último há ainda a possibilidade de poupar parte do 13º salário.

Seja qual for a sua decisão, seguindo esses passos, com certeza você encontrará o melhor caminho. Desejo a todos um ótimo Natal, cheio de realização de sonhos e, de preferência, sonhos que não se transformam em pesadelo, com dívidas desnecessárias. E, lembre-se: o caminho para viver feliz com o seu dinheiro é: diagnosticar, sonhar, orçar e poupar. É a Metodologia DSOP trazendo para você um novo estilo de vida!