Qual a importância de se educar financeiramente um jovem? A resposta é simples: evitar uma nova geração de endividados no futuro. Eles são a esperança de um país mais justo, equilibrado e sustentável.

No entanto, a realidade atual é bem diferente. Grande parte dos cidadãos entre 15 e 24 anos possuem dívidas e as causas são as mais diversas. De acordo com dados da Serasa Experian, celular e carro são os bens adquiridos que mais levam o consumidor jovem ao endividamento.

Mas porque esse público chega a essa situação tão cedo? Com toda certeza, por falta de educação financeira. A ânsia de acompanhar os amigos em todas as baladas e bares; a vontade de comprar roupas, tênis e acessórios de marca, para, dessa forma, fazer parte de um grupo; o planejamento de viagens corriqueiras nos finais de semana; a compra de um carro sem levar em consideração os diversos gastos que um veículo dá.

Enfim, isso tudo leva a um descontrole financeiro que, muitas vezes, só é percebido no final do mês – ou até antes, porque, como dizem, “sobra mês no final do salário”. Para que isso não ocorra ou – se já aconteceu – para sair dessa condição, um livro bastante indicado é o Ter Dinheiro Não Tem Segredo, da Editora DSOP, escrito pelo educador financeiro Reinaldo Domingos.

A obra mostra a importância de estabelecer uma relação saudável com as finanças desde cedo, falando sobre temas como carga tributária, orçamento público, empreendedorismo tecnológico, consumo consciente e, até mesmo, os grandes ideais humanos, como a igualdade social e racial.

Instigando os leitores a assumir as rédeas da própria vida financeira, pode-se relacionar o assunto com os quatro pilares da Metodologia DSOP de Educação Financeira. O primeiro deles é realizar um Diagnóstico de suas finanças, sabendo exatamente quanto e no que você gasta o seu salário.

A minoria dos jovens sabe dizer para onde vai o seu dinheiro. Dessa forma, não se pode, nem mesmo, Sonhar, que é o segundo passo. É impossível conquistar um objetivo sem disciplina. Após fazer o diagnóstico de sua situação financeira, elenque, no mínimo, os seus três maiores sonhos: de curto, médio e longo prazos.

Coloque no papel quais são eles, quanto de dinheiro você precisa guardar e por quanto tempo. E, assim, começa o terceiro pilar da Metodologia: Orçar. É preciso ter a real noção das suas condições e do que você precisa para alcançar suas metas. Seja um produto ou uma viagem, pesquise em vários lugares, pois você encontrará diferença de preços que, às vezes, são relevantes.

E, por último, Poupe. Os jovens são imediatistas, impacientes e ansiosos. No entanto, guardar dinheiro é o único caminho para realizar os sonhos. Sempre que estiver diante de uma situação de consumo, se faça a seguinte pergunta: “eu realmente preciso disso agora ou posso esperar mais alguns meses?” Pensar a longo prazo nos faz ser mais realistas e nos ajuda a ter uma vida tranquila, tanto no presente quanto no futuro.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.