Quem não quer ter uma vida livre de problemas financeiros? No entanto, a maioria se esquece de que, para isso, é preciso abrir mão de certos hábitos – como comprar por impulso ou fazer uma viagem sem planejamento – e mudar, definitivamente, o comportamento com relação ao uso do dinheiro.

Pensando nisso, resolvi escrever algumas orientações básicas, porém certeiras, para aqueles que, assim como eu, priorizam a sua saúde financeira, a fim de garantir uma condição mais confortável a si próprio e à família.

1. Crie uma planilha, alimentando-a, durante 30 dias, com todos os gastos do seu dia-a-dia (até mesmo o cafezinho e a gorjeta);
2. Liste as despesas eventuais, como IPTU, IPVA, presentes de datas comemorativas e aniversários, material escolar, licenciamento de veículo, viagens, etc;
3. Analise a sua situação financeira e veja se não está tentando viver uma realidade que não é a sua;
4. Relacione, no mínimo, três sonhos (de curto, médio e longo prazos) e, depois, coloque em seu orçamento mensal os valores que terá que poupar para realizá-los;
5. Separe o dinheiro para os sonhos assim que recebê-lo. Se deixar para guardar no final do mês, na maioria das vezes, não vai sobrar;
6. Corte pequenos gastos e poupe-os. Acredite, é possível atingir algumas de suas metas com essa simples iniciativa;
7. Seja objetivo no momento das compras. Foque no que é necessário. As promoções são muitas e saltam aos olhos, por isso, tenha muita cautela. Se possível, não leve as crianças;
8. Evite ao máxima usar o limite do cheque especial e/ou pagar a parcela mínima do cartão de crédito. Essas são armadilhas que desequilibram o seu orçamento financeiro, em função dos altos juros. Caso possua mais de um cartão, avalie a possibilidade de cancelamento de algum deles e negocie as taxas existentes nos demais;
9. Negocie sempre! Não somente na hora da compra, como também quando for pagar as dívidas. Você quer pagar e o credor quer receber. Tenha isso em mente e reduza os valores e os juros. É importante que as parcelas caibam em seu orçamento;
10. Tenha uma conversa franca com toda a família sobre a situação financeira, debatendo e decidindo os rumos a serem tomados. A maior dificuldade na hora do controle financeiro é a falta de diálogo, pois, em função disso, ocorrem gastos indevidos e também desavenças;
11. Em caso de dinheiro aplicado, não resgate na primeira dificuldade financeira. Antes, é necessário estabelecer uma estratégia para utilização do dinheiro, uma vez que, na maioria dos casos, gastar reservas fará com que passe de investidor para endividado. Procure combater a causa do seu endividamento e não o efeito;
12. Gastar não é sinônimo de felicidade. Em vez de priorizar o consumo, valorize estar perto das pessoas que gosta.

Se quiser ler um pouco mais sobre como ser saudável financeiramente, leia o meu livro “Terapia Financeira”, publicado pela Editora DSOP.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.