Até pouco tempo atrás, em sala de aula, tínhamos de decorar a tabuada. Atualmente, já não utilizamos mais essa prática. O motivo está na conscientização dos educadores sobre ensinar baseados em uma metodologia que realmente funcione. E daí surge o tema Educação Financeira.

O que realmente esse assunto pode contribuir para as nossas vidas, visto que é algo novo dentro de instituições de ensino? Em minha opinião de educador financeiro, o conhecimento nessa área traz muitos benefícios à sociedade como um todo e, por isso, entendo que seja sim uma disciplina de ciências exatas de vital necessidade para nossas vidas.

No universo da educação financeira, do qual faço parte – mesmo sem saber – desde os meus 12 anos, quando utilizei, pela primeira vez, a matemática para realizar meu sonho de ter uma bicicleta, as pessoas aprendem que o mais importante é atingir objetivos e que o dinheiro é apenas um meio para se conseguir.

A matemática faz parte disso tudo. Sabendo os princípios básicos dessa disciplina, qualquer um consegue saber como está a sua vida financeira, onde está cometendo excessos, quais sonhos materiais poderá realizar, quanto precisará poupar e por quanto tempo.

Prova disso é que, aos 37 anos, consegui realizar um dos meus grandes sonhos: me tornar independente financeiramente. Usei meu conhecimento mais aprofundados para fazer com que os juros trabalhassem a meu favor. Investi meu dinheiro e pude alcançar a autonomia de não mais trabalhar por necessidade, mas sim por prazer. Então, resolvi disseminar Educação Financeira para que mais pessoas pudessem realizar os seus sonhos.

Criei a Metodologia DSOP de Educação Financeira, que, hoje, ajuda centenas de escolas por todo o país a construírem gerações mais conscientes financeiramente. A matemática é uma ferramenta poderosa nessa missão, bastando ensiná-la de forma adequada para cada público (crianças, jovens e adultos).

Educação financeira é do ramo das ciências humanas, que lidam diretamente com o comportamento e costumes, gerando o hábito correto de como administrar o dinheiro. Já a matemática é uma ciência exata, que é utilizada no processo de educação da sociedade.

Um dos pontos já detectado nas escolas é que a criança quando aprende matemática não consegue conectar o aprendizado à sua verdadeira utilização e necessidade. Acredito que as escolas privadas já conseguiram encurtar esse processo de interesse do aluno no tema, por meio da Educação Financeira.

Mas como conseguir fazer o professor ensinar algo que ele mesmo não aprendeu? É preciso que ele aprenda primeiro e, para tanto, não basta apenas as escolas adotarem livros, é preciso capacitar o professor, até porque, ele é o protagonista da transformação de nosso país.

Acredito em uma grande mudança cultural, na qual a educação será, sem dúvida, a grande mola propulsora desse movimento, como falo de modo mais aprofundado em meu livro Terapia Financeira, publicado pela Editora DSOP.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.