No último domingo (11/08), comemorou-se o Dia dos Pais. Todos os momentos vividos, os passeios e as viagens feitas, as fotos tiradas e os ensinamentos compartilhados são relembrados nessa data.

Um dos assuntos de maior preocupação dos pais é ensinar os filhos a andarem com as próprias pernas. Para isso, tentam, desde cedo, transmitir valores e instruir sobre questões financeiras, pois sabem que elas permearão por toda a vida.

No entanto, nem sempre conseguem achar o melhor jeito de educar financeiramente as crianças e jovens, pois, por uma questão cultural, muitas vezes, não foram ensinados pelos seus pais.

Percebendo essa dificuldade, elaborei 14 dicas para orientá-los nessa importante missão:

1. Para educar financeiramente os filhos, é imprescindível que procure, primeiro, conhecer o tema e aplicar em sua própria vida;

2. Quando a criança começa a demonstrar desejos próprios – geralmente a partir dos dois anos, já é o momento de iniciar a educação financeira, mostrando que o dinheiro é o meio para se conseguir alguns bens e serviços e utilizando, claro, linguagem simples e exemplos lúdicos;

3. Nas datas comemorativas, procure dar brinquedo à criança. Isso evitará que ela queira tudo o tempo todo;

4. Se a criança já tiver um maior poder de entendimento, chame-a para as reuniões de família. É nessas ocasiões que todos devem definir seus sonhos de curto, médio e longo prazos;

5. É importante deixar bem claro às crianças que diferenças sociais existem e que elas fazem parte de um padrão de vida “x”. Assim, ela entenderá os limites financeiros e não sofrerá tanto diante de algumas situações;

6. Os cofrinhos são ótimas opções de presente também, pois ajudam a reforçar a importância de guardar dinheiro;

7. Existem diversas obras de educação financeira para crianças no mercado. Procure a que julgar melhor e presenteie os filhos com elas. Leia junto e procure sanar as dúvidas que surgirem;

8. Assim que souber quais são os sonhos da criança, ensine-a que tudo tem seu valor e ajude-a a saber quanto custa cada sonho, quanto ela precisará juntar por mês e em quanto tempo conseguirá realizar. Quando chegar a hora de adquirir, acompanhe-a na compra, que será uma conquista;

9. Mostre a seu filho que nem tudo o que ele quer ou assiste na TV pode/deve ser comprado. Estimule-o a refletir e pensar sobre como utilizar o dinheiro;

10. Quando a criança completar sete anos, é um bom momento para avaliar a possibilidade de começar a ganhar uma mesada. Expliquei o motivo e a importância de estar recebendo esse valor;

11. O valor da mesada deve ser de, aproximadamente, 50% do valor gasto por ele no mês mais os valores para realização dos sonhos. Assim, ela reduzirá o que gasta para atingir os objetivos;

12. Na hora de realizar as primeiras compras com o dinheiro que seu filho guardou, converse com antecedência com o vendedor ou gerente da loja, alertando da importância do momento e que necessita de uma ajuda, que pode ser realizada com a concessão de um desconto na compra à vista;

13. Procure fazer com que a criança anote onde e no que gasta o dinheiro que recebe. Também mostre que, antes das compras, é bom realizar pesquisas em, pelo menos, três lugares, para ensiná-la que sempre existe diferença de preço entre as lojas, desde um chocolate até um brinquedo;

14. Abra uma previdência privada ou poupança para seu filho, ensinando que ele deverá separar parte da mesada, mostrando as conquistas que poderá ter se guardar parte do dinheiro que ganha.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.