Uma recente pesquisa feita pelo diário norteamericano Journal of Public Economics revela a importância dos programas de educação financeira nas escolas. Como a notícia tem tudo a ver com a missão da DSOP Educação Financeira, resolvi compartilhá-la e repercutir discussões sobre o assunto.

Durante 25 anos, 2 mil pessoas de 37 estados dos EUA foram entrevistadas. Apesar de já sabermos dos reflexos positivos de instituições de ensino adotarem esses programas, o resultado em números ajuda na conscientização: os estudantes que foram educados financeiramente nos colégios, quando alcançam a fase adultam, tendem a poupar 1,5 vez mais do que os alunos que não tiveram a mesma oportunidade.

Outra informação relevante é o fato de terem descoberto que as escolas conseguem fazer o mesmo papel do que os pais nessa educação, ou seja, as crianças cujos pais não possuem o costume de poupar, quando tiveram contato com o tema no ambiente escolar, passaram a ter esse hábito.

Isso significa que o efeito dos programas de educação financeira podem ter sua potencialidade duplicada, caso os pequenos tenham o exemplo dentro de casa, o que é animador, pois, quando pensamos em construir uma sociedade mais consciente, saudável e sustentável financeiramente, o sonho se torna mais tangível.

Consigo perceber a eficiência da educação financeira nas escolas que adotam o Programa DSOP de Educação Financeira, que, além de oferecer materiais didáticos e paradidáticos (como as coleções O Menino e o Dinheiro e O Menino do Dinheiro, publicadas pela Editora DSOP) para todas as faixas etárias – do Ensino Infantil ao Médio –, capacita os professores, habilita a instituição e insere os pais no processo de aprendizagem, com palestras sobre o assunto.

Diretores dessas escolas gostaram da experiência e dizem que os resultados já são visíveis logo nos primeiros meses da adoção do programa. Em exercícios e testes aplicados, os professores e pais perceberam que as crianças estão mais racionais com relação ao dinheiro, deixam alguns hábitos de lado – como o de gastarem tudo o que ganham com mesada – e o melhor, estão até ensinando os pais sobre o que aprendem na sala de aula.

Além da iniciativa desses colégios, há projetos como a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef) e a Lei 171/09, que tramita no Senado sobre a obrigatoriedade da educação financeira em escolas das redes pública e privada de ensino do país.

Todas essas ações, para nós da DSOP, reforçam a pertinência do assunto e a importância de continuarmos com a nossa missão: disseminar educação financeira no Brasil e no mundo, por meio da Metodologia DSOP, ensinando as pessoas a conquistarem autonomia financeira para a realização de seus sonhos.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.