De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (ANT), por mês, há quase 500 mil novas habilitações de linhas de celular no país. Ao todo, já são mais de 264 milhões de linhas ativas, o que representa mais de uma por habitante. Bastante, não é? Mas a notícia traz consequências positivas e negativas.

O lado bom é que as pessoas estão tendo mais acesso a novas tecnologias, que ajudam nas atividades da rotina. Pode-se tirar foto ou filmar momentos importantes, ouvir música e, em alguns casos, acessar e-mails urgentes, controlar planilhas e até administrar as finanças – com a ajuda de alguns aplicativos disponíveis no mercado.

Contudo, muitas pessoas se empolgam e acabam tendo que pagar um preço alto por toda essa facilidade. O endividamento com esse assunto é uma realidade e que preocupa, pois demonstra a total falta de educação financeira da população, não sabendo distinguir o que é útil do que é desnecessário na hora de adquirir alguns serviços telefônicos.

Na verdade, acredito que se perdeu a noção do real propósito do celular, que é comunicar-se. Muitas vezes, sem saber, os usuários usam o pacote de dados e, no final do mês, recebem uma conta exorbitante. Alguns se endividam para pagar; outros simplesmente não quitam, entrando para a lista dos inadimplentes.

Muitos também se perdem nas contas por falar demais no celular, ficar horas e horas conversando. Quem tem celular pré-pago, por exemplo, deve se atentar às promoções, que são corriqueiras, e ajudam muito a economizar. Já quem tem pós-pago, precisa saber exatamente as tarifas cobradas pela operadora e as condições que ela oferece.

Tudo depende da sua necessidade. Não adianta se encantar com um plano que oferece mil e uma coisas, se você não vai usar todas elas. Analise as opções e valorize o seu dinheiro, até porque, não é fácil consegui-lo, certo? Seja coerente também com a sua situação financeira e não viva em uma condição que não é a sua.

Explico melhor essa questão em meu livro Terapia Financeria (Editoa DSOP), no qual mostro como diagnosticar os gastos, ensino a importância de priorizar os sonhos e provo que, independente do volume de seus ganhos, é possível poupar e preparar um futuro financeiro mais confortável.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.