Ter saúde financeira seria ter dinheiro? Ter bens? Ou apenas viver intensamente o dia a dia? Nada disso. Saúde financeira está embasada na educação financeira, o que não significa planilhas, cálculos e matemática. Estou falando da educação financeira comportamental, que lida diretamente com hábitos e costumes. Estar saudável e sustentável financeiramente é ter pleno domínio do dinheiro que passa por nossas mãos, seja o que ganhamos ou o que gastamos.

A saúde financeira não é mais importante do que as saúdes física, mental e espiritual, mas nos proporciona a condição de viver uma vida com harmonia e qualidade. Somos seres humanos, vivemos em uma sociedade na qual o dinheiro é o meio para se alcançar os desejos, objetivos e sonhos, portanto, precisamos aprender a lidar com ele. Nossos avós e pais não aprenderam muito sobre o tema educação financeira e nós também não fomos educados. Somente os nossos filhos estão começando a ter educação financeira nas salas de aulas, por isso, temos que rever, imediatamente, nossa forma de lidar com o dinheiro.

Se eu lhe perguntar como anda a sua saúde financeira, o que você me responderia? Uma pessoa ou família pode estar em três situações: poupadora/investidora, equilibrada financeiramente ou endividada/inadimplente. Independente de qual seja a sua situação, é preciso investir na educação financeira para que possa, em caso de estar endividado, sair das dívidas, em caso de equilíbrio financeiro, começar a poupar, e, em caso de poupador, saber onde melhor investir o dinheiro guardado.

Nascemos, crescemos, ficamos adultos, casamos (ou não), nos tornamos pais e, depois, avós. Este é o ciclo natural da vida. O dinheiro sempre norteará nossa vida, por isso, oriento que as pessoas busquem, imediatamente, uma melhor relação com o dinheiro, para que ele possa ser canalizado para a plena realização de seus sonhos.

Nunca é tarde para recomeçar. Faça uma reunião familiar e explique os motivos. Como oriento na Metodologia DSOP de Educação Financeira, para cada sonho, é preciso saber quanto ele custa, quanto será guardado por mês e em quanto tempo, caso contrário, não será um sonho, mas sim um verdadeiro pesadelo. Explico melhor essa importância de se ter sonhos em meu livro Terapia Financeira (Editora DSOP).

Estar saudável financeiramente é poder gozar de uma vida mais prazerosa, estável e, acima de tudo, proporcionar aos entes queridos uma condição diferenciada, na qual o dinheiro entra como um grande aliado e não um inimigo. Não podemos mais criticar os bancos e o marketing publicitário. É preciso assumir um novo papel e entender que dinheiro é uma moeda de troca e pode realizar todos os nossos desejos e sonhos.

Hoje, somos jovens a menos tempo que nossos pais e avós, amanhã, seremos jovens a mais tempo que nossos filhos e netos. Por isso, temos que preparar o caminho para termos saúde financeira e, para tanto, recomendo que guarde parte do dinheiro para desejos, como pagar uma boa assistência medica, após a aposentadoria, poder viajar anualmente, comprar presentes para todos os familiares, enfim, temos que poupar para termos um futuro próspero e repleto de prazer e alegria. Um dos sonhos que não podemos mais deixar de lado é o sonho de ter uma aposentadoria sustentável.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.