Fazer uma faculdade significa, entre muitas outras coisas, abrir portas ao universo profissional. No entanto, quando não se consegue entrar em uma pública, acaba-se tendo um gasto mensal um tanto quanto pesado, pois, além das despesas com comida, transporte e material, tem a mensalidade.

Por isso, o sonho de se formar deve vir acompanhado de um minucioso planejamento financeiro, caso contrário, a expectativa pode se transformar em frustração. O primeiro passo é buscar se educar financeiramente e, aos que estão nessa nova fase, recomendo a leitura da minha obra Ter dinheiro não tem segredo! (Editora DSOP).

O livro traz informações preciosas sobre Educação Financeira àqueles que estão prestes a entrar no mercado de trabalho. A partir de temas que costumam “tirar o sono” da juventude, como a escolha da carreira profissional e a relação com a família, mostro que é importante estabelecer uma relação saudável com as finanças desde cedo, porque, afinal, vivemos em uma sociedade capitalista, na qual o dinheiro é um meio para a realização pessoal.

Ultrapassando a esfera individual, estimulo o jovem a refletir, tocando em temas importantes, como carga tributária, orçamento público, empreendedorismo tecnológico, consumo consciente e até mesmo os grandes ideais humanos – igualdade social e racial. Assim, estabelecendo relações, incitando a reflexões e transmitindo conhecimentos, instigo os leitores a assumir as rédeas da própria vida financeira, por meio de um modo simples e eficaz de lidar com o dinheiro, mas que promete fazer a diferença entre poder ou não realizar os sonhos atuais e futuros.

Sobre as despesas, elas se tornam ainda maiores quando é preciso mudar de cidade (ou até estado) para estudar na universidade em que foi aprovado. Para auxiliar nesse período, elaborei algumas orientações:

1. Buscar economizar o máximo possível na utilização de papel e cadernos, utilize material de outros anos que tenham folhas em branco, uma boa dica é o uso de sulfites já utilizadas de um lado como rascunhos;
2. Em função do grande número de texto para ler, é interessante formar um grupo de estudos com colegas compartilhando textos, uma cópia de cada texto será suficiente para vários alunos, mas é importante que todos tenham o mesmo ritmo, para que não haja confusões. Também é importante utilizar as bibliotecas;
3. Não deixe de aproveitar as ‘baladas’ e confraternizações, mas selecione as que realmente valem a pena e as que são mais econômicas, uma boa dica é reuniões e encontros caseiros. Diversão não é sinônimo de gastos;
4. Sobre transporte, sempre existem os passes estudantis, utilize os transportes públicos. Se isso não for possível, busque revezar ou dividir carro com o maior número de pessoas possíveis;
5. Busque sempre ter uma reserva no fim do mês, são frequentes imprevistos que podem fazer com que tenha que parar com o curso por falta de dinheiro;
6. Caso não trabalhe, é a hora de buscar um estágio remunerado, além de ser bom para o currículo, o dinheiro que recebe poderá ser utilizado para reduzir os custos de sua família com a mensalidade ou outros gastos, e para que você comece realmente a conquistar sua independência;
7. Busque descontos nas mensalidades ou mesmo créditos educacionais, mas, lembre-se, esses terão que ser pagos no futuro, assim, já deve começar a fazer uma reserva extra;
8. Se for morar fora, busque morar em repúblicas com pessoas que tenha as mesmas condições financeiras que você e com um aluguel mais baixo possível, faculdade não é fase de status e sim de estudo;
9. Evite comer fora com frequência, cozinhar é uma solução econômica e relaxante, também, existe a possibilidade de levar lanchinhos em vasilhas ou mesmo os lanches naturais;
10. Por mais que a saudade dos familiares seja grande, a universidade é um momento de conquistar seu espaço, assim, não é necessário viajar todo o fim de semana, nem telefonar todo dia, mas, cuidado, ficar em outra cidade sozinho não é sinônimo de sair bagunçar e gastar.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.