As férias estão aí e muita gente nem sequer se planejou para a chegada dela. Para aproveitar os dias em que as crianças estarão em casa, muitos pais se programam para também tirar uns dias de folga do trabalho e passarem mais tempo com os filhos. Muitas vezes, eles querem viajar, mas e quando não pouparam para isso, qual a melhor alternativa?

É preciso ter muita cautela para que esse período não se torne em uma preocupação, ao invés de ser uma diversão. Então, deve-se pensar da seguinte maneira: fazer uma viagem significa ter despesas como transporte, estadia, alimentação, telefone, dentre outros. Então, se não houve planejamento até agora, é melhor buscar outros programas, caso contrário, o resultado dessas férias será o endividamento.

As pessoas sempre colocam empecilho, quando não conseguem/podem fazer o que queriam, mas a verdade é que há muitas coisas para se fazer sem gastar muito, basta procurar: programas culturais em geral, passeios e piqueniques no parque, visitas a pontos turísticos, entre outros. A viagem, por sua vez, de repente, pode ficar para as próximas férias e, se assim for, é melhor já começar o planejamento agora mesmo.

Para isso, é preciso saber da situação financeira atual, analisar o valor que poderá gastar, para, consequentemente, decidir o destino que cabe no bolso e, claro, finalmente, poupar para realizar a viagem na data planejada. Assim, será possível quitar à vista, conseguindo bons descontos e não comprometendo o orçamento financeiros dos outros meses.

Mas, se, na verdade, já estava tudo planejado para viajar agora, considerem-se uma família educada financeiramente. A recomendação, então, é se atentar aos gastos que ocorrerão ao longo da viagem. É muito normal que as pessoas acabem passando tudo no cartão de crédito e, depois, quando chega a fatura, veem que não terão como pagar.

Por isso, é melhor já sair de casa com os limites de quanto cada um poderá gastar, isso também vale para os pequenos. Caso vão para fora do país, o cuidado tem que ser em dobro, pois, além da conversão da moeda, quando se utiliza o cartão de crédito – ou o pré-pago – ainda a incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que representa 6,38% do valor.

As férias devem ser um período de união e descontração e, com educação financeira, isso é possível.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.