Essa época do ano representa muitos gastos, no entanto, há também ganhos extras, como o 13º salário, que milhões de pessoas recebem, mas acabam gastando em supérfluos ou ainda aproveitando para pagar/antecipar algumas dívidas, o que não é saudável, uma vez que valores como estes deveriam ser destinados para a realização de sonhos.

É comum que, por impulso, recebamos esse dinheiro extra e queiramos sair gastando, mas esse comportamento pode trazer consequências negativas sérias para o orçamento financeiro de toda a família, ao passo que, se fosse utilizado de maneira planejada, o 13º poderia ser o começo da caminhada para a conquista da independência financeira.

Mas, para saber exatamente o que fazer, o primeiro passo tem que ser uma análise das finanças, saber se está endividado, equilibrado ou se é investidor. Se for a primeira opção, é importante ter a exata noção das dívidas e o total que se deve. A partir daí, fazer um diagnóstico da vida financeira, para saber quais despesas estão passando dos limites e poder diminui-las ou até cortá-las.

Com esses números em mãos, poderá ver quanto precisará poupar mensalmente e, então, negociar com os credores. Primeiro, tentar alongamento e, de preferência, com juros mais baixos de, no máximo 2,5% ao mês, fazendo com que as parcelas caibam em seu orçamento mensal.

Se conseguir, pode destinar o 13º salário para outras coisas, se não, pode transformar o “sair das dívidas” em um sonho – de curto (até um ano) ou médio (de um a dez anos) prazo – e usar parte do dinheiro extra para realizá-lo. Outra parte dele para outros sonhos, não há certo ou errado, nem quantia exata para cada um. Um ótimo destino é para uma viagem que gostaria de fazer com a família nessa época do ano ou mesmo para a criação de uma reserva financeira, se preparando para imprevistos.

Agora, se a sua situação for equilibrada, é ótimo porque não tem dívidas, mais ainda é preocupante porque, qualquer problema, pode se tornar um endividado e até inadimplente, já que não possui dinheiro guardado. Nesse caso, o 13º salário pode ser utilizado iniciar um investimento, pensando, por exemplo, na aposentadoria tranquila, aplicando-o em uma previdência privada, ou então pode colocar em uma poupança mesmo, para algum sonho de curto prazo, como os presentes de Natal.

Caso a situação esteja controlada e já seja um investidor, a alternativa mais indicada para utilizar o 13º é com os gastos do período (compras de fim de ano, por exemplo) e mais investimentos, programando saltos maiores, como investir na bolsa – com o auxílio de um especialista.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.