Para complementar o conjunto de ações que a Abefin, em parceria com a DSOP Educação Financeira e a Editora DSOP, está fazendo para a Semana de Educação Financeira, gostaria de falar hoje das atividades que acontecem em outras partes do mundo sobre o assunto.

No ano passado, a DSOP abiu sua primeira franquia internacional, nos Estados Unidos, levando a Metodologia e os materiais totalmente adaptados para o público norteamericano. Com isso, abrimos um novo mercado e disseminamos com mais intensidade a Educação Financeira.

Neste mesmo período, a DSOP também firmou parceria com o Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP) para melhorar a educação financeira mais de 20 mil cidadãos europeus, por meio da plataforma digital interativa eFinLit.

Alguns exemplos de como outros países estão lidando com o assunto

Estudo realizado pelo pesquisador e professor do Laboratório de Finanças (Labfin) da Fundação Instituto de Administração (FIA) André Saito mostra que o processo de educação financeira está se desenvolvendo de forma mais intensa nos Estados Unidos, Reino Unido, Japão, Austrália, Nova Zelândia e Coréia do Sul. Já na América Latina e no Leste Europeu, o ritmo das ações, no sentido de prover conhecimento financeiro para a população ainda é bastante lento.

Nos Estados Unidos

Em 2002, o Department of Treasury criou o Office of Financial Education (OFE), com a missão de prover todos os indivíduos, nos EUA, com o conhecimento prático para habilitá-los a adotar decisões de investimento e escolhas conscientes e bem informadas, ao longo das diferentes fases de suas vidas.

Em 2003, o “Fair and Accurate Credit Transactions Act of 2003”, em seu Título V (Financial Literacy and Education Improvement Act), tratou de estabelecer uma comissão (“Financial Literacy and Education Commission”), liderada pelo Secretário do Tesouro e composta por representantes de 20 outros departamentos e agências norte-americanas (incluindo a SEC e a CFTC), com o objetivo de incrementar a educação financeira das pessoas nos EUA por meio de uma estratégia nacional.

Em 2006, em cumprimento à determinação contida na lei de 2003, a Financial Literacy and Education Comissionpublicou uma estratégia nacional – “TAKING OWNERSHIP OF THE FUTURE: The National Strategy for Financial Literacy”.

O presidente do Fed, Ben Bernanke, disse que as escolas dos EUA devem aprimorar a educação financeira e até considerar torná-la uma exigência curricular. Bernanke afirmou que acredita que mais Estados deveriam tornar as aulas de finanças pessoais uma exigência “para todos os estudantes que buscam um diploma colegial”. Ele destacou que apenas oito Estados agoraincluem a matéria de finanças pessoais como obrigatória para a graduação.
Fonte: Broadcast, 9/4/2008

No Reino Unido

Em novembro de 2003, a FSA (Financial Services Authority) propôs uma estratégia nacional de capacitação financeira(“National Strategy for Financial Capability”), em parceria com um amplo grupo de organizações, por meio de um “steering group” composto de representantes do governo e de organizações não governamentais, de associações de consumidores, de empregadores e da imprensa. O comitê resultante (“The Financial Capability Steering Group”) priorizou, entre suas áreas de atuação, as escolas e as empresas, além de ter proposto o enfoque nos jovens e nas unidades familiares, considerando o planejamento para a aposentadoria e a relação com financiamentos.

Em 2004, a força-tarefa Consumer and Financial Literacy Taskforce (CFLT) era composta por representantes de 15 instituições (Australian Securities and Investments Commission, Australian Financial Services, Australian Bankers Association, Australian Consumers’ Association, Australian Business Week, entre outras).

Como resultado inicial dos trabalhos, foi produzido e divulgado à sociedade, em junho de 2004, um “Discussion Paper”, disponível em //cfltaskforce.treasury.gov.au/content/_download/DiscussionPaper/Summary.pdf

A força-tarefa inventariou cerca de 700 iniciativas de educação financeira, conduzidas por cerca de 100 entidades. Foram realizadas audiências públicas em 6 cidades australianas e captadas sugestões por meio de formulário próprio.

Na Austrália

Dentro da estrutura do Departamento do Tesouro (The Treasury) australiano, foi criada, em junho de 2005, uma fundação específica para tratar do tema da educação financeira, a Financial Literacy Foundation (FLF). O site deeducação financeira e recursos educacionais desenvolvido pela Fundação estão em://www.understandingmoney.gov.au.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.