A escola, como instituição social, não é um espaço neutro aos conflitos e disputas presentes na sociedade. A forma que ela assume em cada momento é sempre o resultado precário e provisório de um movimento permanente de transformações em que as tensões e conflitos sociais se refletem.

Assim é muito comum a mistura de crianças com menor poder aquisitivo com outras com mais dinheiro, o que pode gerar conflitos. Podendo deixar marcas que influenciarão na personalidade das crianças. Assim, é papel de todos nós mostrar que o dinheiro não pode ser um objeto de diferencial entre as crianças. Qualquer forma de discriminação é prejudicial à sua formação, portanto a humildade leva a igualdade.

Se a criança tem amigos mais ricos que ela, os pais devem tomar o cuidado de mostrar o porque isso ocorre, mostrando que ela nem sempre pode ter tudo o que o amiguinho possui, mas pode ser feliz mesmo assim, como falo em meu livro O Menino do Dinheiro, a criança não deve se sentir menor em função disso, pois os verdadeiros amigos não se importam com essa diferença.

Já os pais das crianças que possuem mais dinheiro que os amigos, devem mostrar para ela que isto não é tão importante, mas o que importa mesmo é saber que o dinheiro não compra felicidade e nem tão pouco amizade. E a criança deve agir com naturalidade, pois, o dinheiro não faz ninguém melhor do que ninguém. O que realmente é decisivo para o relacionamento social é o caráter e a humildade.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.