Hoje o intercâmbio internacional é um grande diferencial para os mercados. Profissionais que passaram por experiências fora do Brasil apresentam características muito importantes como uma segunda língua, capacidade maior de adaptação e uma visão maior do mundo. Assim, quando me perguntam sobre o que eu penso sobre esse tema, afirmo sem medo que esse é um ótimo investimento.

Mas, existem cuidados que devem ser tomados, primeiramente com definições básicas de quais os objetivos dessa viagem, de onde partirá definições como locais, cursos a serem realizados, período da viagem.

Escolhido o tipo, duração e local de destino do programa, é hora de falar de dinheiro. Seja qual for o intuito do profissional, o ideal é que se saiba de onde obterá os valores, seja por meio de fundos próprios, seja por meio de empresas que financiam essas viagens, como é o caso do Rotary Internacional, lembrando que nesses casos também são necessários valores para pagamentos extras.

Se o seu caso for o primeiro, é necessário planejamento, sendo o ideal que se tenha todo o valor poupado com antecedência, podendo barganhar um abatimento e optar pelo pagamento à vista do curso e da viagem.

Se a alternativa não cabe no seu bolso, é possível partir para um financiamento, mas, muito cuidado, essa é uma dívida que se estabelecerá e que cobrará juros e possíveis problemas da inadimplência, assim, só assuma riscos que possa pagar. Para os estudantes, geralmente, as universidades mais conhecidas firmam acordos com bancos para oferecer esse tipo de empréstimo com juros mais baixos e pagamento estendido.

Mas, o ideal mesmo são bolsas de estudo. No caso de instituições de apoio estrangeiras, o maior intuito é estreitar os laços entre os países. Projetos que denotam essa intenção ganham a preferência dos avaliadores. Também são valorizados comprometimentos dos pesquisadores em aplicar o conhecimento no retorno ao Brasil.

Enfim, resumidamente, os passos para a realização desse sonho passa por:

Definição: o primeiro passo é pesquisar e decidir a cidade para onde você vai. A primeira pergunta que se deve fazer é: “O que isso vai mudar e agregar na minha vida?”. É importante que sejam considerados os benefícios futuros pós-intercâmbio na vida profissional e pessoal para contratar um desses pacotes.

Planejamento: se não tiver o valor do investimento para concretizar a viagem e os estudos, o caminho é economizar. Planejamento financeiro é essencial nesse processo pré-intercâmbio. Recomendo que o intercambista reserve uma quantia mensal do seu orçamento para garantir o investimento total do intercâmbio.

Poupe: busque direcionar o dinheiro poupado em linhas de investimentos de acordo com o prazo que pretende realizar o intercâmbio. Lembrando que essas linhas podem ser de curto, médio e logo prazo. Se o investimento não for de acordo com o tempo, o investidor pode perder rendimento.

Reserva: inclua no seu orçamento da viagem uma reserva monetária entre 20% e 40% a mais do que o valor inicial do pacote. Em qualquer viagem, é importante ter uma verba guardada para imprevistos, ainda mais quando se trata de uma viagem internacional.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.