Todo o conhecimento e a experiência de vida que os avós adquiriram ao longo de anos servem de ensinamento para as gerações mais novas, especialmente para os netos. E um dos assuntos que eles podem – e devem – contribuir para a formação de uma população mais consciente e sustentável é sobre a administração dos recursos financeiros.

E, já que no próximo dia 26 é comemorado o Dia dos Avós, por que não fazer dessa data um marco, não só de união e celebração, mas também de um início de processo de reeducação financeira de toda a família? O primeiro passo é deixar de lado aquela história de que “avós não educam”; essa afirmação está pra lá de ultrapassada, afinal de contas, quantos avós cuidam dos pequenos, para que os pais possam trabalhar com tranquilidade?

É claro que a relação é diferente, mais leve, uma vez que um dos maiores prazeres da vida dos avós é fazer as vontades do neto. E não há nada de errado em querer e poder fazer, no entanto, isso não impede que, ao mesmo tempo, eles ensinem hábitos e comportamentos corretos, especialmente em um assunto que a população não tem muito acesso à informação: finanças.

Os jovens há mais tempo, como eu costumo falar, passaram por muita coisa nessa vida, inclusive por um período extremo de inflação e até de ter suas economias tomadas. Por isso, a maioria conseguiu aprender – de um jeito nada agradável – a poupar, a não desperdiçar e a gastar apenas aquilo que podia e que não fosse comprometer o seu orçamento, afinal de contas, nunca se sabia o dia de amanhã, literalmente. Sendo assim, os vovôs e vovós possuem um papel importantíssimo na educação financeira dessas crianças e jovens, que, por sua vez, passarão a seus filhos e netos, quando os tiverem.

Felizmente, hoje, já são mais de 1500 escolas públicas e privadas de todo o país que possuem educação financeira em sua grade curricular, ensinando a melhor maneira de lidar com o dinheiro a alunos do Ensino Infantil ao Médio, com linguagem e material apropriados para cada idade. E a eficiência da aprendizagem será ainda maior se essa nova geração tiver apoio e exemplo dentre de casa, no ambiente familiar, especialmente com aqueles que eles sentem tanto carinho e respeito: os avós.

Um grande exemplo de como os mais velhos podem ajudar na educação financeira dos mais novos é não atrapalhando as conquistas dos pequenos. O que eu quero dizer com isso é que, quando as crianças querem algum brinquedo, por exemplo, os avós têm a tendência de querer realizar esse desejo. Mas, se a criança já estiver guardando dinheiro para essa compra, sentem e conversem com ele, vejam quanto tem, quanto falta e como podem ajudar. Acreditem, os pequenos se sentem importantes e capazes, quando participam ativamente de uma realização como essa, e ainda aprendem a importância de planejar para ter algo.

Termino esse texto de hoje parabenizando e celebrando todos aqueles que fazem das nossas vidas uma constante alegria, Feliz Dia dos Avós!

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.