A inflação está instalada. Há muitos anos não temos sentido os índices tão altos. E isto tem feito estragos no bolso do brasileiro e na economia em geral. Precisamos entender que o modelo de crescimento que vivemos no passado foi fruto principalmente de crédito fácil.

Agora, com a inflação, crédito mais restrito e o desemprego em trajetória ascendente, o poder de compra tem diminuído de maneira sistemática. O que de fato está acontecendo é a queda do poder de compra do brasileiro. A inflação faz isto, cria a corrosão do dinheiro. Hoje, não se compra mais o mesmo que no início do ano.

Há situações que infelizmente não temos culpa, mas precisaremos nos ajustar. Diante dos fatos, aconselhamos a novamente fazer o diagnóstico financeiro familiar e refazer o orçamento mensal. Reveja as despesas, pois, dessa maneira, será possível diminuir ou até cortar os supérfluos e viver de acordo com o padrão de vida, porém, com mais realizações.

O crédito é bom, mas endividar-se para comprar o que é necessário para o mês é um péssimo sinal. Lembre-se, o crédito, além de mais difícil, está mais caro. Faça de tudo para ajustar-se, porque esta situação do Brasil perdurará por algum tempo ainda. Melhor prevenir do que remediar, e isso é possível com educação financeira.