Como estamos na semana em que se comemora o Consumo Consciente, resolvi abordar no artigo de hoje um dos tipos de mesada que explico em meu novo livro Mesada não é só dinheiro, que vai totalmente ao encontro do assunto: Mesada Econômica. O processo, quando trabalhado paralelamente com adultos e crianças, é muito mais eficaz.

Como o nome já antecipa, essa mesada baseia-se na prática de economizar o máximo possível, tanto em dinheiro quanto em recursos materiais. Este é um tipo de mesada que pode ser implantado na vida das crianças e jovens, não importando a condição financeira ou social da família.

Se o salário dos pais não vem sendo suficiente para implantar a mesada financeira, é importante que a família perceba que em sua própria casa há um valor monetário circulando que, provavelmente, está passando despercebido aos olhos de todos. Refiro-me à relação entre consumo e desperdício. Posso dar vários exemplos, sobretudo quando as crianças incorrem em algumas das seguintes situações:

– passam horas no chuveiro, brincando;

– deixam luzes acesas sem ninguém no ambiente;

– esquecem a televisão ou o computador ligados;

– não conservam seus materiais escolares e seus brinquedos.

Todas essas situações acarretam gastos que geram desperdício de dinheiro. Quando a criança se torna consciente, esse recurso econômico pode ser transformado em recurso financeiro. Nesse caso, a importância do comportamento dos adultos em relação ao desperdício. De nada adianta ensinarem uma determinada postura se não praticarem o que estão defendendo.

É imprescindível mostrar o que o dinheiro representa em nossa vida. Você pode fazer isso apresentando a ela, de forma lúdica, algumas contas essenciais, como a de consumo de energia elétrica ou de água da família, ou ainda as notas com as compras no supermercado.

Pergunte o que ela acha que faz a família gastar mais dinheiro com energia, por exemplo. Explique que uma lâmpada acesa, o chuveiro, a televisão e o computador ligados, tudo isso corresponde ao número que vem na conta de luz no fim do mês, ou seja, o dinheiro que será tirado do orçamento financeiro. O importante é que seu filho perceba que tudo o que vocês usam além do necessário faz a família perder dinheiro, o que acarreta na impossibilidade ou no adiamento da realização de sonhos e desejos.

O desperdício de dinheiro pode representar o “fim” dos planos de uma viagem em família, de um passeio no fim de semana, da aquisição de um brinquedo novo, entre outros desejos que fazem parte do universo infantil. Portanto, procure conversar com todos, incluindo as crianças, e verifique se estão cientes do valor real de cada item e da necessidade de se evitar o desperdício.

Agora, vamos à prática da mesada econômica:

1. Reúna a família tendo como pauta de discussão os desejos e sonhos de cada um (agente motivador).

2. Calcule e registre os valores de cada sonho.

3. Pergunte a todos de que forma podem obter o dinheiro para realizar esses sonhos, sejam eles individuais ou coletivos, materiais ou não materiais.

4. Pergunte de que modo ou em quais itens eles podem economizar para que o dinheiro “apareça”.

5. Apresente todas as despesas existentes no âmbito familiar, ou seja, as despesas de todos os componentes da família.

6. Debatam a possibilidade de redução de cada despesa.

7. Instigue-os a refletirem sobre o consumo consciente.

8. Trace metas para cada membro da família.

9. Proponha que os valores economizados sejam destinados da seguinte forma: 50% aos sonhos estabelecidos pela família e os outros 50% para, por exemplo, ajudar em alguma melhoria na casa ou para ser usado como mesada financeira.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.