Já estamos em outubro e, quem pensa que ainda é cedo para começar a se programar para 2016, está muito errado. Principalmente em assuntos que são de extrema importância e não podem sofrer baixas, como é o caso da educação dos filhos. Como se planejar para matrícula, mensalidade, material, dentre outras despesas escolares?

Digo que esse é um tema que deve ser tratado com prioridade porque, na verdade, ele é um investimento no futuro das nossas crianças. Uma boa base vai fazer a diferença lá na frente, contribuindo para a formação de uma sociedade mais consciente e sustentável. Por isso da grande importância de se planejar com antecedência.

Sendo assim, vamos colocar a mão na massa, sentar e fazer um diagnóstico financeiro, a fim de saber para onde está indo cada centavo do dinheiro. Se estiver havendo gastos excessivos ou supérfluos, agora é a hora de identificar e diminuir, ou até cortar. Se a situação estiver realmente complicada, é preciso verificar se terá que “mexer” na escola das crianças.

Uma das orientações é ver os prós e contras dessa instituição e conversar francamente com os filhos, saber o que eles acham de onde estudam, se gostam ou se preferem mudar, enfim, ter esse feedback dos pequenos. Caso elas não queiram mais continuar, da tempo de fazer uma pesquisa, ver outras opções interessantes e que estejam mais dentro da realidade financeira da família.

Agora, se o filho quiser permanecer e os pais acharem que é importante, será válido marcar uma reunião com a direção da escola, buscando possibilitar a permanência. Muitas vezes, com apenas uma conversa, é possível conseguir uma isenção de matrícula, bolsa interessante ou condição especial de pagamento das mensalidades.

Se mesmo assim não der certo, a transição deve ser bem analisada e explicada para as crianças, para que elas possam assimilar e passar por isso da maneira mais branda possível. Outro ponto que precisa ser levado em consideração é sobre outras despesas escolares, como uniforme, lanche, material, passeios e transporte.

Com tempo e praticando educação financeira, é possível chegar a um meio termo, lembrando que essa é uma prioridade, portanto, vale a pena todos os esforços. Por isso, mãos à obra para já iniciar esse planejamento 2016.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.