Todo mundo gosta de receber dinheiro extra, por isso, neste período, perto do fim de ano, os ânimos já estão crescendo em função do 13º salário, lembrando que a primeira parcela deve entrar nas contas até o fim de novembro.

A euforia é tanta que o comércio já se planeja para essa data com a realização da Black Friday, que promete oferecer grandes promoções no fim de novembro, para que as pessoas possam “utilizar melhor esse dinheiro”. Outro grupo de pessoas se planeja para pagar as dívidas que fizeram durante o ano.

Enfim, essa ideia de que esse dinheiro extra é para ser gasto com as contas do fim de ano ou com o pagamento de dívidas escondem um grande erro de nossa sociedade, a falta de planejamento.

Vivemos um momento de imediatismo, em que falta uma reflexão maior sobre os caminhos que estão sendo tomados e, por isso, não conseguimos olhar para muito mais do que alguns meses. Gostaria de perguntar: Se parasse de receber agora seu salário, por quanto tempo conseguiria sobreviver com o que tem de dinheiro guardado?

Se a resposta for mais de um ano parabéns, está no caminho certo, apesar de ainda ter muito que poupar. Mas a maioria das pessoas, com certeza, responderão, poucos meses ou nenhum. E aí mora o perigo, não temos mais muitas perspectivas do futuro, e quando ele chega, não estamos preparados.

Assim, não quero dar apenas orientações de como utilizar o 13º salário, pois, isso já falei em outras ocasiões, queria sugerir outra questão, a de utilizar esta oportunidade de um ganho extra para começar a se precaver para o futuro. Separar parte para os sonhos e outra parte para reservas de gastos extras de início de ano. O restante pode ser gasto com o consumo, mas sempre priorizando os reais desejos e não impulsos típicos da época do ano.

É importante que se perceba que a relação com o dinheiro não é meramente matemática, mas sim comportamental. Isto é, não se deve fazer contas do que tem e do que tem que pagar, mas sim começar a pensar sobre o dinheiro que recebe e o papel que o mesmo possui em sua vida.

Muitos vivem em função do dinheiro, só querem ganhar mais, para comprar mais, e nisso esquecem que o dinheiro é uma ferramenta para realizar os sonhos e não o objetivo final. Assim, temos que guardar com objetivos.

Quem sabe, agindo dessa forma, no próximo ano, quando questionado sobre quanto tempo pode sobreviver sem seu salário, a resposta não traga tanto incomodo.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.