Já faz um tempo que o preço dos ovos de Páscoa vem aumentando. Cada ano que passa é um susto a mais que levamos em relação aos valores desse produto típico da data. Ainda assim, muitas pessoas, não abrem mão dessa tradição e acabam comprometendo seu orçamento financeiro. Será que esse é mesmo o caminho correto?

Mesmo diante disso, muita gente acha que não é necessário se programar para fazer uma compra de Páscoa. Se você é daquelas pessoas que fazem questão de presentear nessa época do ano, é importante que já insira no planejamento essa despesa. Afinal de contas, acontece todo ano, se pensar com antecedência, é possível poupar e fazer como bem entender quando chegar o momento, podendo pagar à vista.

Então, caso a situação financeira esteja muito complicada nesta Páscoa e não dê para comprar nada, já se programe para que no ano seguinte seja diferente. Mas se tem alguma verba, para que não gaste mais do que pode, há algumas alternativas para comemorar.

Um comparativo que é simples de se fazer é checar quanto custa uma barra de chocolate e um ovo, ambos da mesma marca, avaliando bem a quantidade de produto que vem em cada um. A diferença, dependendo do caso, pode chegar a mais de 400%, o que é uma quantia significativa até mesmo na compra de apenas uma unidade, quanto mais na compra de vários.

É hora de pararmos de agir por impulso, de sermos levados pela “magia da Páscoa” que o comércio nos transmite. Se eu quero uma marca específica, porque tem algum diferencial, e eu tenho dinheiro para isso, ótimo. Caso contrário, esse é o momento de começarmos a ser mais conscientes e buscarmos alternativas mais econômicas.

O objetivo não é acabar com a tradicional troca de chocolates na Páscoa, mas sim refletir sobre a situação como um todo. Imagina ficar meses pagando por um produto que é perecível e só representa um único dia? Não podemos causar um dano desse às nossas finanças, sem ter consciência dos atos e das consequências.

Outra ideia para economizar é trocar os ovos de marca por caseiros, que também possuem boa qualidade e não carregam o “status” do nome reconhecido, que tanto encarece o produto. É possível fazer algo coletivo também, por exemplo, uma cesta de chocolate para as pessoas que moram na mesma casa. Sairá bem mais em conta.

Chocolate em demasia não faz bem para a saúde financeira nem para a física. Combater o consumo exacerbado faz bem em qualquer sentido e é dever de todos nós. É válido lembrar que o sentido da Páscoa é algo bem mais complexo e espiritual.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.