Quem nunca recebeu uma ligação do gerente da conta ou de um atendente de telemarketing oferecendo uma “ótima opção de investimento”, ou melhor, uma forma de você guardar dinheiro e concorrer a prêmios? O famoso título de capitalização.

Existem grandes chances de você ser enganado ao contratar um título de capitalização, por isso, é importante que você preste muita atenção ao receber uma oferta desse produto para evitar dor de cabeça no futuro, esperando rendimentos e o valor aplicado.

A verdade é que não sou totalmente contra esse tipo de produto, eu por exemplo já cheguei a ter seis títulos de capitalização quando era funcionário de um banco, comecei adquirindo quando ainda não entendia muito bem o funcionamento e, com o tempo, acabei fazendo novos títulos porque gostava da possibilidade de ser sorteado (mesmo sabendo que as chances eram mínimas).

A capitalização é uma espécie de loteria que lhe reembolsa o valor apostado após o prazo contratado, com alguma correção, normalmente a Taxa Referencial (TR), com a diferença que, se tudo der errado (se você não tiver sorte), você terá ao menos o seu dinheiro de volta.

Poucas pessoas no momento da contratação prestam atenção no prazo de carência para resgate, que é o número mínimo de meses em que você não pode solicitar o resgate do seu título (geralmente 12 meses), e na reserva de capitalização, que é o valor que você resgata se solicitar o cancelamento do título antecipado.

Cuidado, não se engane e não se deixe enganar: título de capitalização não é investimento! Você pode até optar por contratar algum, mas perceba que é totalmente diferente de uma aplicação em investimento. É um ótimo produto se você for viciado em jogos de loteria ou outros jogos de azar, já que a probabilidade de ganhar é mínima; em qualquer uma dessas alternativas, é melhor ter uma capitalização e o dinheiro de volta no final do prazo.

Agora, se você “aplica” em título de capitalização por não ter disciplina para poupar, por achar que vai aplicar pouco mensal ou por não conhecer outras maneiras de investir, é melhor ficar fora da capitalização. Hoje, no mercado, temos tantas opções de investimentos com aplicação inicial baixa que, se você procurar um pouco, vai encontrar opções melhores e que vão realmente fazer o seu dinheiro render e você não vai precisar ficar contando com a sorte.

Para se ter uma ideia, no Tesouro Direto, por exemplo, com R$ 30, é possível fazer investimento. Também existe a possibilidade de programar a aplicação mensal, o que ajuda na disciplina para investir, sem contar que você precisa apenas de uma conta em um banco ou em uma corretora para começar.

A caderneta de poupança também pode ser uma opção a ser avaliada e, dependendo dos seus objetivos, seria uma melhor opção do que a capitalização. Normalmente, os bancos também oferecem a possibilidade de aplicação programada na poupança.

Com uma boa educação financeira e uma disponibilidade para investir mensalmente, certamente você vai olhar com outros olhos o título de capitalização e vai pensar duas vezes antes de “aplicar” seu dinheiro nesse produto, priorizando os seus sonhos e focando em um retorno adequado para seus investimentos.

Leandro Silva Ferreira
Educador Financeiro da DSOP Educação Financeira

- Educador Financeiro e Palestrante DSOP;
- Graduado em administração de empresas pela Faculdade das Américas (FAM);
- Pós-graduação em Estatística Aplicada pela Faculdade Metropolitanas Unidas (FMU);
- Certificação de Especialista em Investimento ANBIMA (CEA);
- Certificação CPA-20 ANBIMA;
- Consultor Financeiro pessoal e familiar.