Quem nunca escutou a frase “segunda-feira eu começo a dieta, preciso perder alguns quilos”? Essa restrição alimentar, provavelmente, está programada há algum tempo e foi postergada diversas vezes. É claro que também existe o outro lado, pessoas extremante determinadas e focadas. Mas será que agir de maneira pontual, com uma simples dieta, é a melhor maneira de alcançar seus objetivos, seja ele qual for?

A verdade é que esse processo tem prazo de validade. Segundo a pesquisadora, nutricionista e doutora em endocrinologia da USP, Dra. Sophie Deram, estudos demonstram que 95% da pessoas voltam ao peso inicial. Tudo é uma questão de comportamento, de adaptação do cérebro, por isso, deve ser feito por meio da reeducação. Isso vale para tudo, mesmo para questões financeiras, que é sobre o que vamos falar nesse artigo.

As finanças funcionam de maneira equivalente à dieta alimentar. O ganho de peso é comparado à aquisição de dívidas, que tira o sono de muitas pessoas. Muitas agiram de maneira “cirúrgica”, quitando suas dívidas momentaneamente, não foram atrás de um conhecimento que as fizesse resolver o problema de uma vez por todas. Então, voltaram a se endividar – assim como as pessoas que voltam a ganhar peso, após um tempo.

O ponto principal desta comparação é esclarecido no aspecto educacional. Você foi ensinado a comer corretamente, a planejar e controlar as suas refeições? E no âmbito financeiro, obteve orientações adequadas para lidar com o dinheiro e não se endividar, viver no padrão vida adequado aos seus rendimentos, não se entregar ao assédio da mídia para consumir desenfreadamente e a priorizar a realização de sonhos?

Se você praticar a reeducação alimentar, certamente nunca mais precisará fazer uma dieta passageira; da mesma forma que, se exercitar a educação financeira, não recorrerá a consultorias específicas e efêmeras e nunca mais será uma pessoa endividada. Sendo assim, enquanto você não mudar a essência com educação, o problema estará pronto para fazer parte da sua vida novamente.