No período de férias escolares, o consumismo começa a ser muito mais presente no cotidiano da população e principalmente das crianças. Todos os veículos de comunicação expõem um grande número de produtos e passeios que estimulam o desejo delas.

Além disso, as pessoas são obrigadas a, cada vez mais cedo, lidar com o dinheiro, seja na escolinha, em casa ou mesmo na rua, com os amigos. Mas como inserir as crianças na educação financeira? Veja algumas orientações que elaborei:

•  A partir dos dois/três anos, quando a criança começa a demonstrar desejos próprios, já é o momento de iniciar aeducação financeira, mostrando o processo de troca do dinheiro por produtos;

•  Reserve as datas especiais (como o Natal, aniversário, etc.) para dar brinquedo à criança. Isso evitará que ela queira tudo o tempo todo;

•  Os cofrinhos são ótimas opções de mostrar a importância de guardar o dinheiro e, por ser barato, pode ser dado entre os presentes;

•  Conheça o desejo ou o sonho da criança. Procure mostrar a ela que tudo tem um valor e demonstre quanto ela terá que guardar de dinheiro para conseguir com que este sonho seja realizado. Quando chegar à quantia necessária, acompanhe-a na compra, que será uma conquista, e ela entenderá a importância de poupar;

•  Explique para seu filho/sobrinho/neto, por meio de conversas, jogos e brincadeiras, que nem tudo o que ele quer ou assiste na TV é para ele comprar. Estimule-o a refletir e pensar sobre como utilizar o dinheiro;

•  Na hora de realizar as primeiras compras com o dinheiro que seu filho guardou, converse com antecedência com o vendedor ou gerente da loja, alertando da importância do momento e que necessita de uma ajuda, que pode ser realizada com a concessão de um desconto na compra à vista;

•  Pratique reuniões mensais sobre o orçamento financeiro da casa e convide todos, principalmente as crianças, para que comecem a entender que tudo o que fazemos ou temos em casa tem valor;

•  Analisar, desde bem cedo, a possibilidade de dar mesada e iniciar esse processo com muito cuidado, conversando sobre o valor do dinheiro e o que ele irá representar em toda a sua vida;

•  Procure fazer com que a criança anote onde e no que gasta o dinheiro que recebe. Mostre que, antes das compras, é bom realizar pesquisas em, pelo menos, três lugares, para ensiná-la que sempre existe diferença de preço entre os lugares, desde um chocolate ou lanche até um brinquedo;

•  Abra uma previdência privada ou poupança para o seu filho.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.