educacao-financeira-na-infancia

Os primeiros seis anos de vida são fundamentais para a formação do caráter do ser humano. Recentes pesquisas da neurociência oferecem evidências de que acontecimentos precoces de natureza física, emocional, social e cultural permanecem inscritos por toda a vida.

Por isso, é possível e muito mais eficiente lançar os valores e fundamentos éticos, cristãos e morais nessa primeira fase da vida, uma vez que a criança é dotada de capacidade absorvente, isto é, a famosa fase “esponja”, na qual assimila com facilidade tudo o que visualiza e escuta. O que nos faz entender que a introdução à educação financeira também deve acontecer o quanto antes.

O alto nível de consumismo observado entre as crianças e os jovens e o modismo da ostentação alertam sobre os fatores que estão contribuindo para aumentar esse índice. Segundo pesquisa realizada em 2016 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC BRASIL), apenas 41% dos brasileiros conseguem fechar o mês com dinheiro sobrando, ou seja, com as finanças equilibradas. Há evidências de que o endividamento e as compras supérfluas estão diretamente ligados à falta de conhecimento relativo ao universo financeiro.

Diante desse cenário se faz muito necessário a implantação da alfabetização financeira de forma lúdica, por meio de brincadeiras e estímulos à conscientização de hábitos saudáveis, logo na primeira infância. Objetivando, assim, formar uma geração de caráter, sustentável financeiramente, que aprende desde cedo a utilizar seu dinheiro de maneira saudável e consciente para que, futuramente, seja capaz de administrar grandes recursos, como por exemplo, da sua cidade e de seu País.

Interferir adequadamente na infância é um desafio, mas não é impossível, uma vez que isso seja uma missão de vida. Cabe a nós, enquanto educadores, pais, tios, avós, bisavós, ou qualquer categoria que você se enquadre, disseminar as boas práticas da Educação Financeira desde cedo. Cabe a nós fazermos a diferença e impactarmos nossa geração, deixando um legado para as gerações futuras.

Educação Financeira também se aprende na escolas! Clique aqui e conheça o Programa DSOP de Educação Financeira!

Glauce Galucio
Educadora Financeira da DSOP Educação Financeira

Educadora Financeira DSOP, membra da Associação Brasileira de Educadores Financeiros-ABEFIN, Diretora do Centro de Educação Infantil Aliança-CEIA, Pós-Graduada em MBA Gerenciamento de Projetos pela Universidade Federal do Amazonas-UFAM (2011), MBA em Finanças Coorporativas pela Universidade Gama Filho-UGF/RJ (2008), Especialista em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (2007), Graduada em Estatística pela Universidade Federal do Amazonas-UFAM(2005).