educacao-financeira-dia-das-criancas

Sempre procuro dar orientações em relação às datas comemorativas, especialmente no que diz respeito aos gastos de imposição. Muita gente acaba comprometendo seriamente às finanças, porque se sente “obrigada” a comprar um presente caro, que demonstre status, já que a sociedade determina que tem que ser assim.

É verdade que a cultura já está instaurada, por outro lado, também é verdade que podemos – e devemos – passar às crianças atitudes conscientes, que mudem o comportamento de consumismo desenfreado e a qualquer custo. Isso é possível por meio do ensino de educação financeira nas escolas, dando exemplo dentro de casa e a partir da leitura de livros voltados para essa faixa etária, que abordem o assunto de maneira descomplicada e lúdica.

No entanto, nada disso impede a prática de dar presentes aos pequenos nessa data. Não é proibido comprar brinquedos ou qualquer outro produto/serviço com a intenção de presenteá-los pelo Dia das Crianças. É possível fazer isso e, ao mesmo tempo, ensinar alguns princípios básicos de educação financeira, consumo consciente e valores. Até porque, essas questões se ensinam no dia a dia, ao longo da vida, não em uma única data comemorativa.

Por isso, preparei algumas orientações sobre como fazer boas compras nesse Dia das Crianças, economizando de verdade.

1. Planeje-se

Essa é uma data que se repete todo ano, então, é possível incluir essa previsão de gasto já no planejamento, para conseguir escolher o presente com antecedência e se programar, pesquisando o melhor preço e pagando à vista. Não é tão difícil assim!

2. Pesquise em vários lugares

Muitas vezes, o mesmo produto pode estar bem mais barato em outro lugar. Isso acontece muito na internet, afinal, as lojas possuem mais condições de fazer ofertas. Procure em, pelo menos, três sites, veja o valor à vista e parcelado, quanto cobra de frete, enfim. Se tiver tempo, veja também em lojas físicas, especialmente as de bairro, que conseguem praticar um preço mais em conta.

3. Realize um sonho

Mais importante do que dar algo que a criança possa gostar é dar algo que ela realmente sonha, realizar alguma vontade, enfim, algo mais expressivo do que um desejo pontual. Assim, não será só o valor financeiro que contará, mas sim o sentimental, que é difícil precificar. Só vemos vantagem!

4. Una os familiares

Se os tios e avós também forem presentear as crianças, juntem-se para dar um único presente mais expressivo. Às vezes, elas vão preferir isso a vários presentes menores e não tão significativos e, para os adultos, pode sair mais barato para cada um.

5. Negocie

Depois de todos esses passos, chegou o momento de comprar, e é nessa hora que muita gente não pratica algo que pode ajudar muito a economizar: negociar. Há pessoas que têm vergonha, acham que estão sendo pedintes ou que é uma atitude “feia”, mas isso faz parte da prática de mercado, é normal e pode render bons descontos.

Lembrando que o importante mesmo é estar junto das crianças, brincar, passear, enfim, colecionar experiências no dia a dia. Portanto, se a situação financeira estiver muito complicada e o presente que tanto queria dar não poderá acontecer, tente explicar à criança (caso ela já tenha certa idade para compreenda) e decidam juntos outro presente que caiba no orçamento.

É com muita conversa, sinceridade e respeito ao padrão de vida que as pessoas evoluem e ajudam a formar uma sociedade mais consciente, sustentável e realizada. E, para que isso não se repita no ano que vem, coloque em prática a primeira orientação: planejamento! Agindo assim, você vai ver que é possível realizar muito mais sem perder a saúde financeira.

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.