educacao-financeira-fgts

O FGTS é a sigla para Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, instituído com a finalidade primária de garantir uma “renda” ao trabalhador a partir do momento de seu desligamento da empresa em que trabalha sem justa causa.

Como funciona: mensalmente, a empresa calcula o equivalente a 8% do seu salário bruto e deposita numa conta vinculada da Caixa Econômica, referente ao seu FGTS. Esse valor incide tanto do seu salário mensal como das suas férias e 13º.

Uma vez depositado, é de direito seu, porém há regras para seu uso, que explicarei mais adiante. Além do valor depositado, é realizada uma atualização do saldo em 3% ao ano mais a variação da TR, ou seja, é um rendimento menor que a poupança.

Para cada empresa que você trabalhar, será criado uma conta diferente, ou seja, saberá o quanto foi depositado por empresa. E para que tenha acesso a essas informações, poderá cadastrar seu celular e receber mensagem a cada vez que houver um depósito novo, bem como da atualização do saldo, ou ainda receber uma carta em casa, com os valores já depositados.

Uma informação que é legal de lembrar é que, quando você é mandando embora sem justa causa, além do valor que a empresa depositou mensalmente, é calculado uma multa correspondente a 40% do total dos depósitos e acrescido para você no momento que for fazer o saque.

Então, para quem não tem o hábito ainda de poupar, o FGTS, é um excelente aliado para quem fica desempregado, pois garante uma renda por um determinado tempo. Você não guardou, mas a empresa fez isso para você.

Quando posso utilizar?

Como comentei, o acesso hoje a esse recurso é um pouco restrito e tem suas regras para uso, até porque, se não tivesse, imagina o número de endividados e inadimplentes que poderíamos ter, já que muitos poderiam querer usar esse recurso sem planejamento.

Para poder usufruir desse dinheiro, você precisa estar em uma dessas condições:

– Ser mandando embora sem justa causa, ou seja, ficar desempregado, ter seu contrato de trabalho rescindido pelo empregador (não vá pedir as contas, pensando que isso te ajuda a usar esse recurso, pois não é o caso);

– Fim do contrato de trabalho com prazo determinado, isto é, você é contratado para um trabalho e tem um prazo para encerrar;

Observação: Não é porque foi mandando embora ou teve o contrato encerrado que terá acesso a saldo de FGTS de todas as empresas em que trabalhou em sua vida. Terá direito e uso apenas da empresa em que está se desligando no atual momento. As demais continuam lá, rendendo, pouco, mas rendendo.

> Você se aposentou pela Previdência Social (famoso INSS) e, assim, poderá usar todo o saldo que existir em sua conta e de todas as empresas que ainda tiver dinheiro por lá;

> Caso você fique sem trabalhar durante três anos, sem nenhum outro emprego registrado (vinculo de recolhimento do FGTS – CLT), poderá sacar os saldos que estiver na sua conta, a partir do mês em que faz aniversário;

> Poderá utilizar também para dar entrada em seu imóvel, bem como para abater em parcelas desse financiamento.

Recomendação

O FGTS é um bom instrumento de poupança obrigatória, visto que, infelizmente, ainda não somos educados financeiramente, sendo uma maneira de adquirir a casa própria, garantir uma segurança em caso de desemprego ou um complemento à aposentadoria, enfim.

Se for utilizar, use de forma consciente e valorize cada valor que você recebe ou já recebeu. Não se preocupe quanto ao rendimento que, hoje, é menor que o da poupança, encare como um recurso que estará disponível quando você mais precisar.

Mais informações: //www.fgts.gov.br/trabalhador/quando_sacar_o_FGTS.asp

Cintia Senna
Educadora Financeira da DSOP Educação Financeira

Especialista em Educação Financeira, Terapeuta e Educadora Financeira
• Mestranda em Educação Financeira pela Flórida Christian University (FCU) em Orlando/EUA em 2018;
• Pós-graduada pelo Centro Universitário Sul de Minas Unis em Educação e Coaching Financeiro em 2017;
• Formada em Terapia Financeira pela DSOP Educação Financeira em 2017;
• Cursou módulo Internacional de Gestão de Negócios pela ISCAP em Porto/Portugal em 2015;
• Formada em Educação Financeira pela DSOP Educação Financeira em 2015;
• Formada em Planejamento Financeiro Pessoal pelo Insper em 2014;
• Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade São Judas Tadeu USJT em 2008;
• Conselheira Fiscal da Associação Brasileira de Educadores Financeiros – Abefin Gestão 2015-2020;
• Realizou Intercâmbio Internacional pela Quest Study em Toronto – Canadá – 2013;
• Autora do Canal de Youtube - Cíntia Senna;
• Com mais de 8 anos de experiência profissional em auditoria de instituições financeiras, participações em projetos de bancos de crédito, fundos de investimento, operadoras de leasing, administradoras de consórcio, fundos de pensão, corretoras, escritório de representação, financeiras e concessionárias de veículos;
• Além de 4 anos de experiência profissional na controladoria de empresa multinacional do setor de logística e gerenciamento de recursos financeiros.
Colabora com diversas mídias (tv, rádio, jornais e revistas impressas e eletrônicas) e desenvolve atividades tais como: Palestras, Cursos / Workshops / Aulas, Terapias Financeiras – Individual ou Casal, Artigos e Vídeos.
Desde 2013 atua na área de Educação Financeira com o objetivo de levar as pessoas à sustentabilidade financeira para realização de sonhos. Tem como missão contribuir com a alfabetização financeira no Brasil e no Mundo.