educacao-financeira-dividas-natal

É comum que os gastos aumentem no final de ano, considerando as celebrações e trocas de presentes entre familiares e amigos. Mas vejo que, apesar de típicas, essas despesas não são consideradas por muitos brasileiros em seu planejamento, o que leva ao desequilíbrio financeiro justamente nos últimos meses do ano.

O momento é realmente festivo e de alegrias, mas é importante não se deixar levar apenas pelas emoções e acabar “trocando os pés pelas mãos”, como dizem. É preciso respeitar o padrão de vida e fazer compras conscientes, por isso é muito importante traçar um planejamento de gastos específicos para o período.

Nesse planejamento, considere fazer os pagamentos à vista, especialmente se você se organizou e poupou dinheiro para o período. Não podemos esquecer, afinal, que nos próximos meses são esperadas outras despesas típicas, como IPTU, IPVA, matrícula e material escolar, por exemplo. Então, para não comprometer as finanças, evite os parcelamentos, e se for mesmo preciso, verifique se as parcelas caberão no bolso.

Ao presentear familiares e amigos, leve em conta a sua condição atual e priorize as pessoas mais próximas – isso é algo normal. Antes de decidir o que comprar, converse com as pessoas para poder acertar na escolha. Não se esqueça de fazer um orçamento, prevendo o quanto irá gastar com cada presente, e procure se manter no planejado.

Na hora de pagar, não tenha receio de pedir descontos e negociar, especialmente nas compras à vista. Aproveite as promoções do período e lembre-se que após o Natal sempre há liquidações, então se puder deixar algo para comprar depois, é válido. Tomar atitudes inteligentes como essas é justamente ter educação financeira.

Pensando na ceia de Natal (e de Ano-Novo, se também for fazer), verifique o número de pessoas e controle para que a “mesa farta” não vire um festival de sobras. Me preocupa o desperdício, não apenas de dinheiro, mas especialmente de alimentos. O consumo de itens perecíveis precisa ser feito com consciência.

Para conseguir itens mais frescos e economizar é válido ir a feiras livres de bairro e a mercados atacadistas, dependendo da quantidade que deseja. Uma coisa interessante é trocar alimentos e bebidas caros e importados por itens nacionais e mais baratos, sem perder no sabor ou na qualidade. É importante também ter atenção ao excesso com as bebidas, algo que pode gerar problemas nas celebrações, como acidentes, brigas e ressacas.

Algo que acho bastante justo é dividir as despesas entre os familiares e amigos que participarão da celebração, para que os anfitriões não precisem arcar com tudo sozinhos. Outra atitude bacana é cada um levar um prato ou uma bebida – assim, além de ficar “leve” para o bolso, aumenta a diversidade de pratos saborosos.

Aproveite, com educação financeira, o momento que é de confraternização, união e festa!

Reinaldo Domingos

Reinaldo Domingos é PhD. em Educação Financeira, escritor, educador e terapeuta financeiro. Presidente da DSOP Educação Financeira, da Editora DSOP e da Abefin, publicou o best-seller Terapia Financeira, o recém lançado Empreender Vitorioso com Sonhos e Lucro em Primeiro Lugar e os livros Livre-se das Dívidas, Mesada Não É Só Dinheiro, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, Eu mereço ter dinheiro!, Papo Empreendedor, Sabedoria Financeira e a série O Menino do Dinheiro – Sonhos de Família, Vai à Escola, Ação Entre Amigos, Num Mundo Sustentável e Pequeno Cidadão, O Menino e o Dinheiro, O Menino, o Dinheiro e os Três Cofrinhos, O Menino, o Dinheiro e a Formigarra. Mais de 4,5 milhões de exemplares de suas obras já foram vendidas.