2016 está terminando e muitas pessoas estão preocupadas em virar o ano na situação de endividadas. Se este é seu caso, saiba que é possível cortar gastos, pagar o que deve e começar 2017 sem dor de cabeça.

Elaborei algumas orientações para que você organize as suas finanças. São elas:

1) Coloque tudo na ponta do lápis

Antes de tomar qualquer atitude, conheça de perto a sua situação financeira. Anote tudo o que recebe e tudo que precisa pagar, desde contas domésticas até dívidas pessoais. Isso pode ser feito em um papel ou em aplicativo, como preferir. Com essas informações em mãos, você poderá se planejar para liquidar suas dívidas.

Em seguida, comece a fazer o seu diagnóstico financeiro, anotando por 30 dias todos os seus gastos – incluindo os menores, como cafezinhos e doces. Dessa forma, você dará início a uma faxina financeira.

2) Analise e melhore o seu comportamento

O diagnóstico financeiro permitirá que você conheça melhor o seu comportamento, e o ajudará a cortar as despesas desnecessárias. Pense na importância e necessidade de manter alguns gastos, como com TV à cabo, cafezinho na padaria todos os dias e fazer refeições fora de casa.

Este é um bom momento para pensar em como ter rendas extras. Alguns exemplos são prestar consultorias, dar aulas particulares e produzir e vender algo. Usar seus conhecimentos e dons pode ser muito útil no momento de aperto financeiro.

3) Organize as dívidas e não faça novas

Olhe para suas contas e separe as que são prioritárias: as que dizem respeito a itens de necessidade básica, como moradia e alimentação, e as que acumulam mais juros. Essas precisam ser liquidadas primeiro. Se for preciso partir para a renegociação, pense em parcelas que caibam em seu orçamento no longo prazo, para não correr o risco de não conseguir arcar com o combinado.

Já que vai estar mais organizado, evite contrair novas dívidas. Se for comprar algo, prefira pagar à vista. Os parcelamentos devem ser evitados, pois a tendência que façam suas dívidas mensais virarem uma bola de neve.

4) Aproveite a chegada do 13º

O tão aguardado 13º salário é uma possibilidade para dar esse primeiro passo rumo ao fim das dívidas, e pode ser usado na renegociação. É importante lembrar também que janeiro é o mês de IPTU, IPVA e matrículas, portanto é valido economizar desde já para essas contas.

5) Não pense que presente de Natal é obrigação

O Natal costuma gerar dívidas porque muita gente tem o hábito de presentear familiares e amigos. No entanto, lembre-se que essa é apenas uma representação da sua consideração pela pessoa. Se for presentear, escolha algo que caiba em seu bolso, para não comprometer sua saúde financeira neste fim de ano e entrar 2017 no azul.

Boas festas!

Por Ricardo Bandini – Educador Financeiro DSOP