educacao-financeira-desconto

Você sabia que agora é autorizada por lei a cobrança de valores diferentes para a venda de um mesmo produto, de acordo com a forma de pagamento utilizada? Em dezembro de 2016, a medida provisória 764 passou a validar as práticas de desconto para o pagamento à vista, que, apesar de comuns, ainda não eram reconhecidas legalmente.

Assim, quem já tinha o hábito de pechinchar, “chorar” por desconto, pode passar a ter essa medida como base em seus argumentos. Quem tinha vergonha ou não tinha esse tipo de comportamento habitualmente poderá começar em 2017, pensando inclusive em escolher com mais atenção suas formas de pagamentos visando economizar nas compras.

Essa prática, de desconto para o pagamento à vista e em dinheiro, já era por nós, educadores financeiros, vista como uma excelente forma de economizar e poupar, isso porque muitas vezes é possível conseguir descontos maiores do que os rendimentos oferecidos por aplicações financeiras.

Isso porque os lojistas já consideram no preço final de seus produtos todos os custos incorridos para disponibilizá-los a venda – como frete, impostos e taxas cobradas pelas operadoras de cartão e boleto (como taxa de administração mensal, taxa por cada venda realizada e as taxas por antecipação de crédito). Lembra que você, enquanto consumidor, por muitas vezes ainda paga anuidades de seus cartões de crédito e tarifas de conta corrente para os cartões de débito? Então, esse desconto no pagamento à vista seria como a devolução dessas taxas, já que o lojista não precisará arcar.

Minha recomendação, neste momento, é que aproveite sim a nova regra e antes de qualquer compra tenha as seguintes atitudes:

  • Pesquise o produto que deseja adquirir, tanto em lojas físicas quanto online;
  • Compare os preços ofertados, tanto para pagamento parcelado quanto à vista;
  • Poupe os recursos financeiros necessários, mesmo que demande um pouco mais de tempo, evitando o pagamento parcelado. Assim saberá o quanto pode se beneficiar ao economizar e pagar à vista, sem se endividar;
  • Vá até as lojas em que fez a pesquisa e teste o produto, questionando sobre as formas de pagamento;
  • Verifique se nessa primeira abordagem já é informado sobre a diferença de preço para o pagamento à vista. Do contrário, questione o quanto de desconto poderá ter com essa forma de pagamento;
  • Caso seja informado que não há desconto, insista, não tenha vergonha, comente das taxas que eles vão economizar, citando a nova regra;
  • Conseguir ao menos 5% de desconto já é ótimo. O que vier além disso é ainda mais lucro;
  • Quando o vendedor realmente quer vender, acredite, algum desconto é dado;
  • Caso não consiga o desconto e não ache em outro local com melhor preço, parcele e poupe o dinheiro em uma aplicação financeira, usando aos poucos para pagar as parcelas. Assim, ao menos ganhará um pouco com o dinheiro investido.

Para quem não tem o hábito, no início essa prática pode parecer estranha, mas com o tempo se transforma em um comportamento que facilita a conquistas dos sonhos e desejos da pessoa ou família, sem que seja preciso se endividar. Boas compras!

Cintia Senna
Educadora Financeira da DSOP Educação Financeira

Especialista em Educação Financeira, Terapeuta e Educadora Financeira
• Mestranda em Educação Financeira pela Flórida Christian University (FCU) em Orlando/EUA em 2018;
• Pós-graduada pelo Centro Universitário Sul de Minas Unis em Educação e Coaching Financeiro em 2017;
• Formada em Terapia Financeira pela DSOP Educação Financeira em 2017;
• Cursou módulo Internacional de Gestão de Negócios pela ISCAP em Porto/Portugal em 2015;
• Formada em Educação Financeira pela DSOP Educação Financeira em 2015;
• Formada em Planejamento Financeiro Pessoal pelo Insper em 2014;
• Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade São Judas Tadeu USJT em 2008;
• Conselheira Fiscal da Associação Brasileira de Educadores Financeiros – Abefin Gestão 2015-2020;
• Realizou Intercâmbio Internacional pela Quest Study em Toronto – Canadá – 2013;
• Autora do Canal de Youtube - Cíntia Senna;
• Com mais de 8 anos de experiência profissional em auditoria de instituições financeiras, participações em projetos de bancos de crédito, fundos de investimento, operadoras de leasing, administradoras de consórcio, fundos de pensão, corretoras, escritório de representação, financeiras e concessionárias de veículos;
• Além de 4 anos de experiência profissional na controladoria de empresa multinacional do setor de logística e gerenciamento de recursos financeiros.
Colabora com diversas mídias (tv, rádio, jornais e revistas impressas e eletrônicas) e desenvolve atividades tais como: Palestras, Cursos / Workshops / Aulas, Terapias Financeiras – Individual ou Casal, Artigos e Vídeos.
Desde 2013 atua na área de Educação Financeira com o objetivo de levar as pessoas à sustentabilidade financeira para realização de sonhos. Tem como missão contribuir com a alfabetização financeira no Brasil e no Mundo.