Um dos investimentos mais tradicionais do Brasil é a caderneta de poupança. Instituída por Dom Pedro II em 1861, tinha como público alvo as pessoas de baixa renda e remunerava os depósitos com juros de 6% ao ano na época de sua criação.

Caderneta de poupança

Apesar de atualmente não ser a opção mais rentável de investimento, a caderneta de poupança continua sendo a opção de investimento preferida em nosso país. Cerca de 61% dos consumidores têm algum dinheiro guardado nesta modalidade, segundo recente levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)

As principais razões dessa preferência são o fato de não haver desconto de Imposto de Renda e a facilidade de aplicar e, especialmente, de resgatar o dinheiro no momento desejado. Apesar disso, a caderneta de poupança vem perdendo força gradualmente.

Em 2012, 88% dos brasileiros aplicavam nela, de acordo com pesquisa realizada pela Fecomércio/RJ e pelo Instituto Ipsos em 2016. Um dos principais motivos desta diminuição é o aumento de juros nos últimos anos, não acompanhados pelo aumento dos rendimentos da poupança.

Sabemos que há diversas modalidades de investimentos mais rentáveis, como o Tesouro Direto, por exemplo, mas mais importante do que pensar no investimento é atrelar a cada reserva financeira um objetivo claro. Afinal, o dinheiro é um instrumento que deve ser usado com consciência para que cada pessoa ou família consiga realizar seus sonhos.

Ewerton Teixeira

- Educador Financeiro DSOP
- Coach Esportivo
- Agente de atletas do Corinthians MMA
- Formado em Processos Gerenciais - SENAC
- Extensão em Negócios do Esporte - FIA
- Extensão em Consultoria Empresarial - FIA
- Pós-Graduando em Adm. e Marketing Esportivo - USCS
- Pós-Graduando em Lutas, Artes Marciais e Esportes de Combate - USCS
- Formação em Coaching Esportivo - Academia Emocional
- Formação em Coaching Esportivo - Unisport/Zetta Coaching