Compras compulsivas, endividamentos e inadimplência, infelizmente, ainda fazem parte da realidade de muitas pessoas. Não basta só usar planilhas para fazer cálculos de controle dos gastos; é importante mudar seus hábitos e comportamentos em relação ao dinheiro para ter uma vida financeira saudável.

Vida financeira saudável

A pesquisa de endividamento e inadimplência do consumidor (PEIC), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), registrou 2,08 milhões de famílias paulistanas endividadas no mês de abril, um número maior se comparado ao ano anterior.

O mau uso do dinheiro traz consequências sérias e às vezes graves, afetando não só a saúde financeira, mas a física também. E tudo isso acontece por falta de educação financeira.

Não importa o quanto você ganha, mas sim o quanto gasta. Caso não tiver controle de todos seus gastos e um bom relacionamento com o dinheiro, continuará pagando altos juros de cartão de crédito, cheque especial e empréstimos. Os juros têm que nos favorecer, portanto devemos usá-lo a nosso favor e respeitar cada centavo que conquistamos com nosso suor.

Vida financeira saudável? Será que possível? A resposta é SIM. Tudo isso começa com uma mudança de comportamento.

Que tal poupar dinheiro para realizar os sonhos? Não seria nada mau conseguirmos fazer aquela viagem maravilhosa de navio, pagar um intercâmbio para os filhos, comprar a casa própria, um carro bacana para passear com a família, conquistar a independência financeira e trabalhar só por prazer.

Pensando nisso, trouxe algumas dicas que poderá ajudá-los a usar o dinheiro da melhor forma possível. Vamos lá?

  • Defina os sonhos que queira alcançar, sejam eles de curto, médio e longo prazo. Estabeleça-os, não importa o tempo que irá conquista-los, e poupe dinheiro para realizá-los. O sonho é um agente motivador;
  • Anote todos os gastos diários por 30 dias, mesmo aqueles que você acha que não afetam o seu orçamento. Anote-os, independente se comprou uma bala, ou tomou aquele café na padaria, tudo deverá ser anotado para que consiga identificar para onde vai cada centavo. Dessa forma conseguirá reduzir pelo menos 30% dos seus gastos;
  • Ao realizar uma compra, priorize pagá-las a vista, pois dessa forma obterá descontos;
    Poupe pelo menos 10% dos seus ganhos;
  • Reduza as despesas domésticas (água, luz, telefone, internet, TV a cabo);
  • Evite compras por impulso e pesquise preços antes de comprar algo;
  • Mude seus hábitos em relação ao consumo;
    Faça uma reserva estratégica, aquela que poderá ser usada em caso de emergência;
    Mantenha um padrão de vida de acordo com seu salário;
  • Seguindo essas dicas, sua relação com o dinheiro melhorará e ele será seu melhor amigo. Devemos usar os recursos financeiros da melhor forma possível e valorizá-los.
Priscila Novais
Educadora Financeira da DSOP Educação Financeira

Educadora Financeira e Terapeuta Financeiro DSOP, Membro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Realiza palestras, workshop, curso de educação financeira ( empresas, pessoas físicas, igrejas e associações), terapia financeira familiar, casais e individual, Bacharel em Administração de Empresas, Especialista em finanças das empresas pela Universidade São Caetano do Sul (Uscs), licenciando em Matemática pela Universidade Municipal de Santos (Unimes).