Você sabia que ter uma reserva de emergência é uma estratégia fundamental para a sua saúde e tranquilidade financeira? Se você respondeu não, fique tranquilo, pois a maioria dos brasileiros não sabem disso e por isso o número tão alto de inadimplentes em nosso país.

Construir um orçamento financeiro é o primeiro passo para organizar todos os seus custos e ganhos. Dessa forma, é possível se planejar e conseguir guardar uma quantidade de dinheiro todo mês para a reserva. Para te ajudar a conquistar o controle financeiro e aprender a construir uma reserva de emergência, preparamos esse artigo com algumas dicas, confira.

A importância do equilíbrio financeiro

A grande maioria das pessoas não sabe o que é educação financeira e gastam seu dinheiro de acordo com o que ganham sem nenhum planejamento estratégico. Esse é um grande erro e produz um desequilíbrio na vida de qualquer pessoa.

Ter uma reserva de emergência traz uma tranquilidade por saber que se pode contar com esse dinheiro para qualquer imprevisto. Além disso, a própria organização financeira que requer a construção de uma reserva, traz um equilíbrio para as nossas vidas.

Os cálculos para construir uma reserva de emergência

É comum que as pessoas que não têm um orçamento financeiro sintam-se perdidas e se queixem de nunca sobrar nada para guardar. O que elas não percebem é que o pensamento está equivocado, não se trata de guardar se sobrar, mas sim de guardar antes mesmo de gastar!

Para saber quanto poupar por mês, o ideal é que você consiga chegar à um número que seja equivalente a seis vezes o seu custo mensal. Como esse dinheiro será usado para casos de emergência, como ficar desempregado, por exemplo,  a ideia é garantir uma quantia que você possa viver durante seis meses, tempo relativamente suficiente para se organizar novamente.

As pessoas que se queixam que mal conseguem pagar as contas no final do mês,  precisam refletir e entender que a reserva de emergência deve fazer parte do orçamento mensal. Para isso, basta cortar excessos com outros gastos e poupar essa quantia. Procure guardar de 3 a 5 % do que você ganha para construir a reserva.

A reserva é somente para emergências

 Todos sabem muito bem o que significa emergência, então nada de mexer no dinheiro para outros gastos! O ideal é que esse dinheiro esteja bem investido, pois ele ficará lá parado até que realmente você precise dele.

A poupança não é o investimento mais indicado, pois rende muito pouco. O melhor é investir no Tesouro Direto ou fundos e CDBs que tenham liquidez diária, ou seja, onde o dinheiro possa sair rapidamente da aplicação, caso você precise dele!

A educação financeira é muito importante para uma vida mais saudável e sustentável. Escolha o investimento que melhor se adapte às suas necessidades, faça um orçamento financeiro e construa a sua reserva de emergência. Não tenha dúvidas de que esse é o caminho para o sucesso!

 

 

Juliane Ganem
Educadora Financeira da

- Educador financeiro DSOP;
- Terapeuta Financeiro DSOP;
- Membro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros-ABEFIN;
- Coach Financeiro;
- Personal & Professional Coaching–SBC;
- Mestre em Modelagem Matemática–CEFET-MG;
- Pós em Matemática Aplicada- UFMG;
- Professora Universitária;
- Palestrante.