Notícias para você

Aumento no uso do cartão de crédito leva ao atraso no pagamento das faturas

Para especialistas, facilidade para comprar com cartões leva os consumidores ao atraso no pagamento

Do total de R$ 26,49 bilhões devidos pelos brasileiros em julho, 28,3% eram dívidas vencidas há mais de 90 dias, o que tecnicamente é considerado inadimplência. Com base nesses dados, calculados pelo Banco Central, os especialistas avaliam que o calote está sendo provocado pelo aumento no prazo de pagamento das faturas. Historicamente, o prazo de pagamento dos cartões era de 30 dias, mas, de acordo com pesquisa da Fecomércio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), na média dos primeiros sete meses deste ano, o prazo passou para 53 dias.

Agora, os comerciantes começam a se inquietar com o que Altamiro Carvalho, economista da Fecomércio, chama de “perda no nível de qualidade do endividamento das famílias”. Isso significa que, se as famílias demoram mais para pagar as dívidas, também demoram mais para voltar a consumir porque estão com parte da renda comprometida com as prestações de compras anteriores.

Mas, de acordo com o economista Pedro Vartanian, da Trevisan Escola de Negócios, não é só a questão do aumento no prazo de quitação das faturas que preocupa. Para ele, o crescimento das operações com cartão de crédito é causado pelo aumento no número de estabelecimentos que aceitam esse tipo de pagamento, além da isenção da anuidade oferecida a alguns clientes pelas operadoras.

O consultor da Trevisan diz que a taxa de juros é realmente alta comparada a outros tipos de financiamento, mas ressalta que “quem utiliza o cartão e quita a fatura no prazo não paga juros”. Por esse motivo, o aumento das operações com cartão não sofre o impacto direto da taxa de juros.

Para Mário Rubens, pesquisador do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o cartão de crédito é utilizado pelas classes mais baixas como forma de complementar a renda. Por isso, esses consumidores são indiferentes à variação das taxas de juros, mais preocupadas com o tamanho do crédito rotativo.

Reinaldo Domingos, presidente do Instituto DiSOP de Educação Financeira, considera que a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) nas compras de eletrodomésticos, material de construção e automóveis, também teve forte efeito no aumento das operações com cartão de crédito.

Fonte: http://noticias.r7.com/economia/noticias/aumento-no-uso-do-cartao-leva-ao-atraso-no-pagamento-das-faturas-20090928.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo