As professoras que ofereceram a disciplina de Educação Financeira na EMEF Osvaldo Batista foram recebidas pela Secretaria de Educação de Barueri (SP), que fechou nesta sexta-feira a extensão do Programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas para o próximo ano.


A partir de 2014, a Rede Pública de Ensino do município oferecerá a disciplina de Educação Financeira também aos alunos do Ensino Fundamental II. Neste ano, apenas o Fundamental I teve acesso às aulas.

“A preocupação fundamental da Secretaria é fazer de Barueri uma cidade que educa. Então, a primeira coisa que pensamos foi: como melhorar a educação nas escolas? Então buscamos aprimorar expertises e oferecer ao professor a possibilidade de ter qualidade de vida, o que com certeza influencia no trabalho”, apontou o assessor da Secretaria de Educação de Barueri, José Anísio Cascais. “A Capacitação Pedagógica da DSOP foi muito boa. Ouvimos dos professores que eles perceberam que estavam fazendo certo, mas que a Metodologia causou uma revolução em suas vidas. Além disso, para o aluno é de extrema importância, uma vez que as crianças são expostas a uma carga grande de informação que leva ao consumismo”.

A coordenadora do Fundamental I da EMEF Osvaldo Batista, Mirtes Alcatrão, e as professoras Inês Castro dos Santos, Maria de Lourdes Alves Mazine, Andreia Rodrigues, Maria Aparecida Gaban, Marilene Silva Cerqueira e Ana Lúcia Santana Souza estiveram com a gerente pedagógica da DSOP, Ana Rosa Vilches, para contarem as experiências que tiveram com os alunos e em suas próprias vidas, no que diz respeito à disciplina.

“Pude ver um interesse grande por parte dos alunos. Cada um deles apontou os seus sonhos e viu que é possível realizá-los”, disse Maria de Lourdes. “Eu gastava muito com coisas supérfluas. Hoje tenho mais consciência do que é ou não necessário e, inclusive, abri uma caderneta de poupança”.

“Tive dificuldade no começo, pois apesar do interesse que tinham, diziam que não precisavam poupar, já que os pais compram o que eles precisam ou recebem mesada. Mostrei a Metodologia DSOP a eles e, assim, entenderam a necessidade de guardar dinheiro”, afirmou Inês.

“Acho muito importante essa conscientização com o dinheiro que a disciplina passa. Ela ajuda os alunos a aprender como utilizar o dinheiro”, apontou Marilene.

“Uma aluna apontou que tinha como sonho visitar um evento de games em São Paulo e disse que iria começar a poupar. Ela conseguiu juntar o montante e apenas não realizou este sonho por não depender apenas disso, já que ainda é uma criança e não poderia ir sozinha”, destacou Andreia.

“Outro exemplo é de um aluno de 6 anos que, ao chegar em casa, viu que havia dois pacotes de bolacha de marcas diferentes. Ele falou com os pais e apontou o desperdício de dinheiro”, disse Mirtes. “Na minha vida pessoal, juntei dinheiro o ano todo e, no final do ano, vou viajar para Cancun (México) por dez dias”.

Segundo a gerente pedagógica da DSOP, o encontro foi fundamental para que seja apontado o que deu certo e o que precisa ser reestruturado na disciplina. “Este primeiro ano serviu como um teste para a Educação Financeira nas escolas públicas de Barueri e, por meio desta reunião, pudemos ver os resultados e obter um feedback das professoras, que vivenciam este momento. Pudemos ver que o resultado foi 100% de acordo com a necessidade do aluno e, a partir de 2014, teremos algumas adequação para que a disciplina esteja conforme aquilo que as educadoras passam”, comemorou Ana Rosa.

Para mais informações sobre o Programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas, clique aqui.

Por Pablo Ribera/ DSOP