Projeto Sonhar, Planejar, Alcançar: Fortalecimento para Famílias estará presente em nove cidades brasileiras e atingirá 12 mil crianças brasileiras


No dia 16 de abril a Sesame Workshop, organização sem fins lucrativos filiada à Vila Sésamo (Sesame Street), anunciou o início do “Projeto Sonhar, Planejar, Alcançar: Fortalecimento para Famílias”, uma iniciativa em parceria com a DSOP Educação Financeira, a Metife Foundation e a TV Cultura que visa disseminar a Educação Financeira entre crianças que estudam em escolas públicas brasileiras.

Silvio Arduini, da Secretaria Executiva do Conef; presidente da DSOP Reinaldo Domingos; Diretor Regional da Sesame Workshop na América Latina Jorge Baxter; e Raphael de Carvalho, presidente da MetLife Brasil

O projeto irá atingir mais de cem milhões de crianças em idade pré-escolar e suas famílias no mundo (Brasil, China, Estados Unidos, Índia e México), sendo no Brasil, 12 mil crianças de nove capitais: São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Campo Grande, Curitiba, Belém, Manaus, Maceió e Recife.

Alunos do Colégio Califórnia, adotante do Programa DSOP de Educação Financeira, estiveram no evento

O presidente da DSOP, Reinaldo Domingos, diz que este projeto será de extrema importância. “Estou muito feliz com este momento, que é um marco para a DSOP principalmente porque contamos com parceiros de grande relevância no cenário mundial. A DSOP foi escolhida para fazer parte deste projeto maravilhoso e inserir a Educação Financeira às crianças de 3 a 6 anos e, como já oferecemos materiais para alunos desta idade, tenho a certeza de que contribuiremos muito com este projeto”, comemora o educador e terapeuta financeiro. “Este projeto da Vila Sésamo junto conosco é muito nobre e, acima de tudo, de grande responsabilidade social. Vamos capacitar professores e desenvolver oficinas com os alunos”.

O programa “Sonhar, Planejar, Alcançar” oferece um conteúdo engajador, apresentando os personagens da Vila Sésamo, com linguagem lúdica para o diálogo e a construção de estratégias eficazes para controle de despesas, poupança, compartilhamento e doações.

Diretora Pedagógica Ana Rosa Vilches incentivou as crianças e participantes a alimentarem a Árvore dos Sonhos

“O objetivo maior é inspirar as crianças e famílias a tomarem decisões certas no que diz respeito à Educação Financeira. No Brasil e em toda a América Latina há uma necessidade muito grande de trabalhar este tema”, aponta Jorge Baxter, diretor regional da Sesame Workshop na América Latina.

Reinaldo Domingos, Jorge Baxter, Ana Rosa Vilches e diretora de Marketing da DSOP Fabiana Raguza

O projeto vem de encontro com o trabalho que a DSOP desenvolve no que diz respeito à Educação Financeira nas escolas e a priorização dos sonhos. “Desejamos trabalhar a questão dos sonhos, já que todos nós temos, inclusive as crianças. Então, queremos oferecer ferramentas para que as famílias possam se planejar para o futuro”, explica Baxter. “Estamos felizes por poder contar com a DSOP, que já tem uma trajetória com relação a este tema. Temos metodologias lúdicas, mas o que mais precisamos é de parcerias como esta”.

Personagens Bel e Come-Come participaram do evento, realizado na TV Cultura

Julia Tomchinsky, consultora educacional da Vila Sésamo, explica que o projeto atuará em duas frentes. “Realizaremos uma campanha que vai acontecer em rádio, TV e internet para promover mudanças de atitudes, de valores, princípios e comportamentos financeiros das famílias. Também teremos atividades no engajamento comunitário, mediante parcerias com redes municipais de educação”, disse Julia. “Realizaremos oficinas com educadores, famílias e crianças no decorrer de um ano. É importante ressaltar que entendemos a educação financeira também como uma questão de sonhos materiais e não-materiais”.

A consultora acredita que esta parceria com a DSOP será um sucesso. “A DSOP é um dos nossos parceiros que já possui uma prática em Educação Financeira, principalmente com crianças da nossa faixa etária. Nossa expectativa é contribuir com uma nova geração de brasileiros fortalecidos financeiramente e consumindo de forma mais consciente e também, de uma forma mais ampla, estabelecendo sonhos coletivos, entendendo que aquilo que a gente sonha está contextualizado na vida de outras pessoas”.

Por Pablo Ribera / DSOP