05-02-educacao-financeira-escolas

É bacana quando chega o fim do mês e dá para receber aquela graninha dos pais, não é mesmo? Mas uma dica: é necessário que os adultos fiquem atentos com os gastos dos filhos e que a educação financeira seja uma lição ensinada desde cedo.

Dados do Serasa Expirian apontam que cerca de 60 milhões de pessoas estão inadimplentes no país. Pensando em um futuro mais consciente economicamente, três escolas de São José dos Campos adotaram a disciplina de educação financeira para os jovens. São elas: o Colégio Anglo, Inspire e Pindorama.

Clique aqui e conheça mais sobre a DSOP Unidade São José dos Campos!

A adolescente Bruna Gouveia, de 13 anos, diz ser mais controlada depois de ter começado a receber orientações sobre como poupar o dinheiro que recebe todo mês.

“Aprendi a guardar o dinheiro. Penso nas minhas prioridades e guardo para comprá-las. Esses ensinamentos também me ajudam a não desperdiçar outras coisas como comida, água e energia”, contou.

A mãe da Bruna, a personal trainer Luciana Gouveia, disse que a disciplina deveria fazer parte do currículo das escolas porque ela mesma se perde nesse controle em alguns momentos.

“Infelizmente, na minha geração não tivemos essa oportunidade. Eu mesma me perco. Saber o valor que temos de dar ao dinheiro é fundamental”, comentou.

A diretoria pedagógica do colégio Anglo, Leila Pereira, disse que a ideia de trabalhar o tema com os alunos foi por conta da demanda consumista que as crianças apresentavam e ressalta que os pais apoiam a iniciativa, pois os estudantes são colocados em situações do cotidiano.

“As crianças são colocadas na realidade. Situações do dia a dia são citadas na sala de aula. Os maiores têm informações sobre o mercado financeiro e dicas sobre investimentos. O importante é que os pais nos apoiam. Hoje em dia as crianças são incitadas aos gastos desde cedo”, finalizou.

Especialista. Silvio Bianchi, consultor financeiro e diretor da empresa DSOP, diz que há defasagem perante a educação na área de finanças no país. “O alto índice de inadimplentes que assola o Brasil é resultado do analfabetismo financeiro”, afirmou.

Bianchi ainda avisa que a mesada é uma boa forma de ensinar os filhos a serem econômicos desde novinhos. “Se pretendemos uma nova geração, temos de iniciar o ensinamento desde cedo. Indicamos os pais darem mesada a partir dos sete anos, porque nessa idade a criança já tem condição de começar a aprender administrar aquilo que tem”, completa.

Fonte: //www.ovale.com.br/2.620/escolas-de-s-o-jose-ensinam-a-economizar-1.695902