A educação financeira nas escolas já é realidade para alguns alunos da capital paulista, centro financeiro do País: 200 instituições de ensino (20 públicas e 170 privadas) adotaram a matéria em sua grade curricular.

Educação Financeira nas escolas

Os números são da DSOP, uma organização de educação financeira cujo sistema significa Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar, e está presente em 1.500 escolas do Brasil. A metodologia da organização engloba desde o ensino infantil até o adulto, porém fica a cargo da escola escolher em qual série quer começar a introduzir o ensino financeiro.

De acordo com Edward Cláudio, educador financeiro da DSOP, há forte evidência de que lares com baixa educação financeira não planejam a aposentaria, pagam juros mais altos e têm menos bens. Edward comenta que o ensino está mais ligado à área de Humanas do que de Exatas. “Engloba a parte matemática, mas educação financeira é comportamental. Os alunos são ensinados a sonhar e criar hábitos e costumes adequados que orientem eles a gerir, planejar e poupar o dinheiro”, diz. Além do material didático, o educador diz que a metodologia também inclui a parte prática.

Segundo ele, a DSOP incentiva que os alunos pensem em um sonho coletivo para ser realizado ao final do ciclo de ensino. “Alguns optam por uma festa e começam a planejar, com os professores, como vão angariar recurso.” Edward diz que a metodologia não alcança apenas os alunos, mas toda a comunidade escolar.

“Professores recebem treinamento e pais recebem orientação de como organizar as finanças da casa e dos filhos, por meio de palestras e de uma plataforma com informações sobre o assunto”.

O custo anual da DSOP varia de R$ 82,90 a R$ 179,90, com material didático, plataformas e palestras. Segundo Edward, a escola pode pagar o valor e cobrar uma taxa na mensalidade ou repassar o valor para os pais. “Tanto escolas privadas quanto públicas nos procuram para implantar a metodologia, muitas vezes a pedido dos próprios pais. No plano mais robusto (R$ 179,90), a taxa é de apenas R$ 15”, avalia.

Ação do governo

Em 2010 o governo assinou o decreto Nº 7.397 que instituía a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) com a “finalidade de promover a educação financeira e previdenciária e contribuir para o fortalecimento da cidadania, a eficiência e solidez do sistema financeiro nacional e a tomada de decisões conscientes por parte dos consumidores”. Como parte desta estratégia, em 2014 o Ministério da Educação lançou uma plataforma gratuita com material didático para o ensino médio e fundamental.

Programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas

A DSOP Educação Financeira oferece um Programa de Educação Financeira totalmente estruturado, com material didático completo, capacitação de professores, palestras para pais/responsáveis e conteúdos online.

Assim, não apenas os alunos aprenderão, mas também toda a comunidade poderá se educar financeiramente.

E a escola também sai ganhando: além da já mencionada queda nos índices de inadimplência dos pais, a instituição tem a oportunidade de ser um diferencial na região, oferecendo um conteúdo cada vez mais visto como essencial para a formação de crianças e jovens.

O Programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas já é realidade em mais de 1.500 escolas do Brasil e envolve não apenas os alunos, mas os pais, colaboradores e comunidade.

Ajude na formação de uma geração mais sustentável financeiramente! Conheça o Programa DSOP de Educação Financeira e faça a diferença em sua região!

Clique aqui e saiba mais!

Fonte: //goo.gl/sv6wcF