Artigos

Como não se endividar nas férias?

As férias devem ser lembradas por momentos de relaxamento, diversão, família e amigos reunidos, viagens e passeios. No entanto, muitas vezes, as pessoas acabam extrapolando seu orçamento financeiro pessoal ou familiar, devido à impulsividade do momento.

Para que o sonho das férias não acabe se tornando um verdadeiro pesadelo, o melhor é fazer um planejamento minucioso e com antecedência. Culturalmente, o brasileiro não tem o hábito de poupar para gastar, o que compromete o período pós-férias, com contas para pagar e, às vezes, até financiamento para quitar.

No caso de uma viagem, é recomendável que a pessoa/família decida o destino, os roteiros e os passeios e estipule um valor a ser gasto em compras, pelo menos, de seis a 18 meses antes. Dessa forma, fica mais fácil organizar as finanças, poupar e, muito provavelmente, pagar tudo à vista e com desconto.

Para que não haja frustrações durante esse período, procure programas compatíveis com a sua real situação financeira. Isso também evita futuras discussões e chateações entre os membros da família, do grupo ou do casal que for viajar.

Aplique os ensinamentos da Metodologia DSOP (Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar) e tenha a certeza de que seu sonho se realizará. Para saber um pouco mais sobre o método, recomendo a leitura do meu livro Terapia Financeira, da Editora DSOP.

Vale ressaltar o cuidado que se deve ter com a utilização de cartões de crédito. Primeiro, porque as pessoas possuem a falsa ilusão de que, como não estão tendo que dispor do dinheiro no exato momento da compra, não estão gastando. É um pensamento errado, mas que muita gente tem.

Quando você faz uso do cartão de crédito, está assumindo um compromisso financeiro futuro, a ser honrado no dia do vencimento. Analise o seu orçamento e pergunte a si mesmo se terá condições de pagar na data prevista. Alguns não conseguem e acabam contando com o limite do cheque especial. É nessa hora que muitos acabam se endividando.

Se for viajar para o exterior, não se esqueça de que, além do valor ser convertido da moeda local para a de seu país, haverá cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), taxado atualmente em 6,38%.

Seguem abaixo algumas orientações para quem quer fazer a viagem com sucesso:

1. Antes de decidir sobre as férias, é preciso saber a situação financeira da família (endividada, equilibrada financeiramente ou poupadora). A partir daí, avalie quanto poderá ser investido para esse sonho;
2. Assim que for definido – em conjunto com a família, inclusive as crianças – as preferências de lugares, pesquise na internet e nas lojas os melhores preços de pacotes e condições;
3. Não extrapole o seu orçamento financeiro. Sem planejamento, o período pós-férias poderão te fazer entrar em dívidas e, dependendo de como for, até se tornar inadimplente;
4. Se a viagem for para fora do país, adquira a moeda estrangeira do país em questão, colocando 80% do valor total em um cartão pré-pago e levando 20% em dinheiro na carteira.
5. Leve uma reserva de 30% a 50% a mais, para cobrir imprevistos e surpresas, como passeios de última hora, presentes, lembranças e até casos de adoecimento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo