Educação Financeira
Tendência

Como se proteger dos golpes financeiros

Por | Paulo Paquera

Segundo a Federação Brasileira dos Bancos (FEBRABAN), no primeiro semestre de 2021 os golpes financeiros atingiram incríveis 165% de aumento, considerando o mesmo período de 2020.

Isso significa que, ao passo em que a tecnologia e a segurança da informação avançam, a criatividade dos golpistas cresce duas vezes mais, por isso, é importante entender quais os golpes financeiros mais aplicados e como proteger seus recursos desses meliantes.

Se você, ou alguém próximo já foi vítima de algum desses golpes, com certeza sabe o que é se sentir impotente em uma situação que poderia ter sido evitada, caso tivesse acesso à informação correta.

Por isso, para evitar que você passe por essa situação novamente e, também, saiba como aconselhar as pessoas à sua volta, criamos este artigo para mostrar alguns dos golpes financeiros mais aplicados e quais as medidas para evitá-los.

O falso motoboy:

Tudo começa com uma ligação do “banco”, onde um golpista se passa por um atendente da instituição financeira em que você possui conta, dizendo que seu cartão foi fraudado.

Em seguida, passam uma falsa segurança, pedindo que o cartão seja cortado com uma tesoura, mantendo apenas o chip intacto.

Com isso feito, o motoboy retira os restos mortais do seu cartão e, com o chip ainda intacto, conseguem utilizá-lo para fazer transações e roubar dinheiro da vítima.

Nunca, em hipótese alguma, os bancos enviam um funcionário para retirar qualquer coisa na sua casa. Caso receba alguma ligação ou visita desta natureza, não entregue nada e ligue imediatamente para seu banco, para se certificar de que está tudo certo com sua conta.

Central de atendimento falsa:

Neste caso, o profissional fraudulento entra em contato com a vítima se passando por um funcionário do banco, informando que a conta teve algum tipo de problema, como invasão ou clonagem. A partir disso, ele pede informações pessoais para resolver o tal problema.

Com essas informações pessoais em mãos, o golpista tem infinitas possibilidades para utilizar os dados da vítima. Um financiamento ou um empréstimo, por exemplo.

Para evitar, basta desconfiar, já que os bancos não entram em contato com os clientes solicitando dados pessoais.

Desligue o telefone imediatamente e entre em contato com seu banco através dos canais oficiais, como telefone, site ou aplicativo.

Golpe no WhatsApp:

Ao descobrir seu nome e seu número de telefone, os golpistas tentam cadastrar seu WhatsApp no aparelho deles.

Para finalizar a operação, o aplicativo sempre envia um código de segurança por SMS e, para ter acesso a este código, os estelionatários entram em contato se passando por alguma empresa onde você possui um relacionamento ativo.

Geralmente dizem que estão passando por alguma atualização e que precisam do código de confirmação que foi enviado por SMS.

Assim que conseguem a informação, eles têm acesso ilimitado ao seu histórico de conversas e, com isso, passam a pedir quantias em dinheiro aos seus contatos, alegando sempre alguma urgência.

Antes de qualquer coisa, você deve proteger seu WhatsApp com a confirmação em duas etapas, com certeza isso vai dificultar o acesso dos golpistas.

Outra coisa simples que ajuda a se proteger, é deixar a visualização da sua foto disponível apenas para contatos.

E claro, nunca compartilhe nenhum tipo de código de segurança. Caso receba mensagem de algum parente pedindo dinheiro, desconfie e confirme a identidade da pessoa que está pedindo ajuda.

Boleto falso:

De acordo com o SPC Brasil, a emissão e o pagamento de boletos falsos cresceram muito nos últimos anos. Este golpe é aplicado, geralmente, em vítimas que estão em algum processo de renegociação bancária ou com alguma outra instituição financeira.

Para evitar o pagamento de um boleto falso, sempre fique atento a dois detalhes importantíssimos:

O e-mail do remetente: compare com o e-mail oficial da empresa onde a negociação está em andamento. Caso tenha alguma dúvida, ligue e confirme o envio.

Atente-se ao beneficiário: essa é a forma mais simples de evitar o pagamento de um boleto falso, já que o beneficiário não será a instituição financeira. Sendo assim, delete imediatamente o e-mail.

As famosas pirâmides:

Não, não são as magníficas pirâmides egípcias, infelizmente. O golpe das pirâmides financeiras começa com a promessa de ganhar muito dinheiro de forma rápida e fácil.

Basta você indicar para dois amigos, esses dois amigos indicam para quatro, que indicam para oito e assim por diante.

O sistema de pirâmides é proibido por não haver um produto especificado e essas empresas são usadas apenas como fachada para passar credibilidade para as vítimas.

Proteja-se pesquisando sobre a empresa em questão em órgãos governamentais para saber se ela realmente existe e qual sua situação fiscal. De qualquer forma, se achar que se trata de pirâmide, caia fora.

Esses são apenas alguns dos milhares de golpes que são aplicados todos os dias e, pode ter certeza, que neste exato momento, alguém está planejando algo novo para aplicar um golpe financeiro em um cidadão de bem.

Por este motivo, devemos sempre estar atentos e desconfiar de promessas fora da realidade do nosso sistema econômico.

Os efeitos negativos da pandemia fizeram com que as pessoas ficassem fragilizadas pelas perdas financeiras, logo, qualquer fio de esperança é aproveitado pelos bandidos, que esperam apenas um descuido para tirar tudo que você tem.

Uma forma de sempre estar atualizado aos novos “métodos” de golpes financeiros, é aprender com quem sabe. Veja os vídeos Como fugir de golpes financeiros e como fugir do golpe do PIX.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo