Notícias para você

É hora de cair na real

O ano começa com despesas extras, como IPVA, IPTU e material escolar

As festas de final de ano estavam boas? Aproveitou bastante? Que bom, porque agora é hora de cair na real. Mal virou o ano e 2010 já apresenta a fatura. Ou melhor, as faturas. Além do cartão de crédito e os crediários com as compras de Natal, o ano começa com outras despesas extras como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar. Mas cuidado: é preciso planejamento para não perder o controle das finanças.

O acúmulo de compromissos tinge de vermelho o primeiro mês do ano, pelo menos no extrato bancário. Mas existem meios de reduzir o impacto dessas contas extras no orçamento doméstico. Segundo o educador financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro Terapia Financeira (Editora Gente), o primeiro passo é utilizar o 13º salário para aliviar as despesas extras.

“O grande segredo está na educação financeira. Basta planejamento para não levar sustos no início do ano” – conta Domingos.

Uma das dúvidas frequentes refere-se ao Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores, o IPVA. Pagar a vista ou parcelado?

“Tudo depende do fluxo de caixa de cada pessoa. O primeiro exercício nesse caso é levantar todas as contas e descobrir se você tem dinheiro em caixa ou não” – explica.

Ele recomenda que se a pessoa estiver devedora, sem dúvida deve parcelar. Para quem não tem reservas financeiras, a melhor opção também é o parcelamento, já que o desconto normalmente é menor do que os juros do cheque especial ou do empréstimo pessoal, caso o cidadão fique descapitalizado nos meses seguintes.

“Para quem tem reservas financeiras, outra análise deve ser feita. É importante saber o rendimento que terá no trimestre” – acrescenta.

Caso o dinheiro esteja aplicado na poupança, provavelmente o rendimento do período será menor que o desconto, então o pagamento à vista é mais vantajoso. Se a aplicação for o CDI, que pode render até 4% nos próximos três meses, o parcelamento volta a ser mais interessante.

A mesma conta deve ser feita para verificar a vantagem de se parcelar ou não o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU).

Para quem exagerou nos gastos de final de ano e não vai conseguir pagar todas as contas do início de 2010, os especialistas recomendam uma pesquisa para verificar qual a forma de empréstimo mais barata. É preciso avaliar quanto será pago de juro por atraso nas contas e quais as taxas de empréstimo.

O crédito consignado pode ser uma saída para quem se descontrolou nas finanças, porque como há garantia de recebimento, os juros são menores. A recomendação mais recorrente é evitar entrar no limite do cheque especial para cobrir as contas, pois os juros são extremamente altos. A taxa média de juros do cheque especial estava em 8,78% ao mês em dezembro.

“O importante é se organizar no começo do ano para pagar menos juros possível. Existem opções mais seguras e outras de alto risco. É preciso cautela na hora da escolha.”

REINALDO DOMINGOS, educador financeiro

O grande segredo está na educação financeira. Basta planejamento para não levar sustos no início do ano, quando surgem despesas extras e muitas contas.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2766452.xml&template=3898.dwt&edition=13845§ion=846

Visite a Loja Virtual do Instituto DiSOP de Educação Financeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo