Finanças

Olimpíadas de Paris 2024: quanto custa viajar e como se planejar até lá


Veja as principais orientações de organização financeira para embarcar aos próximos jogos olímpicos

Via: Invest News

Com o fim da Olimpíada de Tóquio – que aconteceu sem público devido à pandemia de covid-19 – apaixonados por esportes já começaram a se programar para a próxima edição do evento que ocorrerá em Paris em 2024, com a possibilidade de plateias lotadas, caso o vírus seja controlado até a data marcada. Portanto, se a intenção do espectador for assistir aos jogos presencialmente, é importante fazer um planejamento financeiro com antecedência, pois assim é possível garantir a viagem, diminuir gastos e evitar imprevistos.

De olho nisso, o InvestNews preparou essa matéria para explicar aos interessados como se preparar financeiramente para embarcar ruma aos Jogos Olímpicos da França na próxima edição. Além disso, a matéria levantou os possíveis custos da viagem, considerando a estadia entre 25 de julho de 2024, que é a véspera da abertura do evento, e 13 de agosto, dia seguinte ao encerramento dos jogos.

Como fazer o planejamento financeiro para viajar?

O planejamento financeiro é o primeiro passo essencial para realizar qualquer sonhosegundo especialistas consultados. Então, se seu objetivo for viajar para assistir à Olimpíada de Paris 2024, saiba que você precisará criar uma estratégia para que isso aconteça.

De acordo com a planejadora financeira Cintia Senna, existem itens fundamentais que devem ser pensados no início do processo, como saber em detalhe o que se deseja, quanto custa a viagem, em quanto tempo isso deverá acontecer, quanto dinheiro é preciso guardar dentro desse período e de onde esses recursos serão tirados.

Senna explica que, caso o objetivo seja a viagem para a Olimpíada de Paris, é preciso definir tudo o que se deseja fazer por lá, como os jogos que você tem intenção de assistir e os lugares que pensa em visitar. Tendo conhecimento disso, é hora de partir para a cotação, momento no qual será descoberto o custo de toda a experiência.

A partir daí, acrescenta a planejadora financeira, é hora de dividir o possível custo pelo número de meses (se os ganhos forem mensais) disponíveis antes da viagem e, por último, responder como isso será pago, se é apenas com a renda de um emprego fixo, se um trabalho extra será realizado, ou, ainda, se gastos atuais serão cortados para conquistar o que se deseja.


Faça a conversão do real para o euro

Ir a Paris exige a troca do real para o euro, por isso, muitas pessoas ficam com dúvida sobre qual moeda incluir no planejamento – já que há muita variação cambial.

Cintia explica que os dois jeitos de lidar com situação são válidos: ou guarda o dinheiro necessário na moeda nacional ou já adquire a moeda estrangeira. O risco é que o real pode desvalorizar em relação ao euro, o que geraria a necessidade de incluir mais dinheiro na conta. Caso contrário, ficaria uma renda extra para a viagem.

Entretanto, para que a situação de perda com o câmbio – que é provável – não venha a ocorrer, a planejadora financeira sugere fazer a aplicação dos valores em um fundo cambial, pois assim é possível acompanhar as oscilações entre as moedas. Fundos cambiais são aqueles que investem em moedas estrangeiras como dólar e euro e, por esse motivo, protegem o investidor de desvalorizações caso sua moeda desvalorize.

Senna também acrescenta que o melhor meio de fazer compras no país estrangeiro é com um cartão de débito (um exemplo seria o Visa Travel Money) já com a moeda do local, porque assim o turista se mantém mais seguro andando com menos dinheiro em espécie e evita o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e variação cambial que é cobrada posteriormente no cartão de crédito.

Como investir para viajar

Para Cintia, investir em renda fixa para resgatar o dinheiro para viajar pode ser uma alternativa interessante, principalmente no caso da Olimpíada de Paris em 2024, já que o prazo é de praticamente três anos para o evento acontecer. Ela sugere optar por aplicações como o Certificado de Depósito Bancário (CDB), títulos do Tesouro Direto como o Tesouro Selic, Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

Por outro lado, a planejadora financeira acrescenta que aplicar em papéis de renda variável com esse objetivo não é uma boa opção – com exceção de fundos cambiais, porque o valor do dinheiro ficaria protegido na moeda estrangeira – considerando esse mesmo prazo e porque existe o risco de perder toda a aplicação.

“A renda variável acaba sendo mais interessante apenas quando pensamos mais no longo prazo”, explica.

O que esperar da Olimpíada de Paris?

Se a pandemia acabar e a situação voltar ao normal até 2024, a Olimpíada de Paris acontecerá no segundo semestre deste ano, e contará com 328 jogos, distribuídos entre 38 modalidades de 32 esportes – sendo que dois deles serão novos no evento, que são a canoagem slalom extremo e o breakdance. Além disso, também haverá mais provas mistas na edição francesa.

Comitê Olímpico Internacional (COI) também anunciou mais uma coisa inédita sobre os jogos: o número de atletas homens e mulheres será o mesmo quando dividido entre todas as modalidades de esportes, o que é um grande passo para a agenda de igualdade de gênero.

Quanto custa ir a Paris?

Ir a Paris não é uma viagem barata e, provavelmente, o custo deve ficar ainda mais alto no período da Olimpíada, já que é um evento com muita procura. Veja abaixo qual é a estimativa dos gastos da viagem para fazer seu planejamento, levando em conta os custos atuais (sem considerar as possíveis variações de preços no período dos jogos, que tendem a aumentar).

1 – Passagens

Passagens aéreas começam a ser comercializadas pouco menos de um ano antes da data de embarque. Por isso, atualmente não é possível saber qual será o preço exato dos voos até Paris e 2024, já que o evento ocorrerá só daqui praticamente três anos.

Mas vale acrescentar que é importante tentar adquirir os tickets assim que eles estiverem disponíveis para compra, porque, no momento inicial das vendas, os preços costumam ser mais baixos.

Fazendo uma cotação no site “Go to gate” no dia 20 de agosto de 2021 para o embarque no dia 1° de junho de 2022 e retorno no dia 20 do mesmo mês, mesma quantidade de dias que duraria todo o evento olímpico, de São Paulo para Paris, considerando o combo ida e volta mais econômico, sem bagagem para despachar, o preço seria de R$ 3.286,24. É importante considerar que a busca por voos para esta região em 2024 tende a aumentar e, portanto, o preço pode variar bastante. A variação do euro frente ao real também influencia o preço das passagens.

2 – Hospedagem

O preço da hospedagem em Paris pode variar muito porque vai depender do que o viajante desejar. Por exemplo, o tipo de propriedade (hotel, hostel, pousada, flat…), a categoria ou avaliação do local (1, 2, 3 estrelas) e a localização. Então, é necessário definir exatamente o que se deseja e pesquisar bem antes de fechar qualquer acomodação.

De acordo com o Airbnb, uma opção barata de um quarto individual aparentemente confortável e modesto teria um custo hoje de aproximadamente R$ 250 por dia, o que totalizaria R$ 5 mil no período de 20 dias.

3 – Alimentação

Os gastos com a alimentação também são bastante relativos, portanto, se a opção for luxo, obviamente, os preços sempre serão mais caros. Caso contrário, segundo o site “Quanto Custa Viajar”, um café da manhã, almoço e jantar de baixo custo sairiam aproximadamente € 41, o que totalizaria R$ 267,60 por dia na conversão do dia 20 de agosto de 2021, do euro turismo – que está atualmente em torno de R$ 6,69. Multiplicando esse valor por todo o tempo de estadia, o montante hoje seria de R$ 5.352.

4 – Ingressos

Esse detalhe é ainda mais difícil de ser estabelecido, já que os preços dos ingressos para cada modalidade de jogos olímpicos são diferentes, além de também haver muitas partidas.

Uma estimativa de valor, baseada na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, é que o ingresso mais barato custou R$ 40, enquanto o mais caro, que foi o da abertura, saiu por R$ 4.600.

Portanto, o espectador precisará definir quais partidas pretende assistir e fazer uma pesquisa dos preços delas nas últimas Olimpíadas, e, assim que as vendas estiveram disponíveis, realizar a compra dos ingressos o mais rápido que puder, dado que eles podem esgotar rapidamente.

5 – Turismo

As despesas com passeios turísticos também são relativas e vão depender do que o viajante desejar. Se for considerando as atrações mais tradicionais, como a Torre Eiffel, que custa € 16,70 para um adulto subir no segundo andar pelo elevador, o Museu do Louvre, que sai por € 17,00, e Arco do Triunfo, pelo preço de € 13,00, o total convertido do euro de turismo seria de R$ 212.

Mas essas não são as únicas atrações em Paris. Existem muitas outras que são extremamente interessantes, por isso, vale pesquisar. Há muitos lugares que também são gratuitos, como o Jardim de Luxemburgo.

6 – Transporte

Táxi, Uber e metrô: cada um tem seu preço, por isso, mais uma vez, o turista terá que fazer uma estimativa em cima do valor do transporte que escolher e o quanto irá se locomover. Dez tickets do metrô em Paris custam em média € 12,70. Se o turista usar 4 por dia, serão 80 tickets no período todo de estadia que custarão € 101,6, o que na conversão para a moeda brasileira ficaria R$ 679,70.

7 – Visto e documentações

A notícia boa da viagem para a França é que os brasileiros não precisam de visto se a estadia for de até 90 dias. Apenas é necessário ter o passaporte com validade de no mínimo 6 meses após sair da Europa; passagem de volta comprada, pois essa regra existe para evitar a imigração ilegal; comprovante de meios de subsistência; seguro-viagem; e comprovante de hospedagem. Atualmente, a França está exigindo comprovante de vacinação de turistas provenientes do Brasil, de algumas fabricantes (Pfizer, Moderna, AstraZeneca, Janssen). Não é possível saber ainda quais serão a situação e as exigências sanitárias francesas em 2024.

Custo total da viagem

Pela simulação feita acima, uma viagem de 20 dias a Paris tem um preço bem salgado, considerando passagens, hospedagem, alimentação, turismo e transporte, o preço total seria de R$ 14.529,94, sem considerar os ingressos dos jogos olímpicos, a totalidade de locais que o viajante deseja visitar e sem o valor do seguro-viagem – que costuma variar.

Ir a Paris custa caro, mas, como disse a planejadora financeira, “quando a gente pensa em sonho, quanto mais tempo tiver para planejar e organizar, é melhor”. Então, como ainda há bastante tempo, é possível fazer as contas e se planejar. E, assim, quem sabe, já ir sonhando com o embarque a Paris.

Via
Invest News
Fonte
Invest News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo