Volume de financiamentos concedidos neste primeiro quadrimestre acumula R$ 155 milhões em Mato Grosso

 

O bom momento vivido pela construção civil, em Mato Grosso, após a confirmação de Cuiabá como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, está sendo puxado principalmente pelos investimentos no setor habitacional.

De acordo com levantamento da Superintendência Regional da Caixa Econômica Federal, só no primeiro quadrimestre do ano a instituição já acumula R$ 155,004 milhões em financiamentos concedidos para a construção de casas no Estado, volume 195,58% acima dos R$ 52,440 milhões liberados em igual período de 2009.

Somente com recursos da Caixa foram liberados R$ 119,060 milhões, contra R$ 36,522 milhões, incremento de 225,99%. Já o FGTS respondeu pela liberação de R$ 35,944 milhões este ano, com acréscimo de 125,80% na comparação com o valor aprovado no período de janeiro a abril de 2009 (R$ 15,918 milhões).

Ainda conforme a Caixa, no primeiro quadrimestre de 2010 foram assinados 1.776 contratos de financiamento habitacional no Estado, ante os 1.153 no mesmo período do ano anterior, expansão de 54,03%.

O valor médio dos contratos habitacionais assinados em Mato Grosso é de R$ 59,432 mil, a linha de crédito mais procurada é a “Carta de Crédito Caixa” e o prazo mais utilizado é de 186 meses.

Em 2009 – janeiro a dezembro – foram assinados 6,971 mil contratos em Mato Grosso, num montante de R$ 414,302 milhões.

Segundo informações da assessoria da Caixa, o número de financiamentos de imóveis novos contratados com a instituição este ano, em todo o país, já é o maior em mais de 20 anos, considerando quadrimestres. O montante também é superior ao total de contratações de todo o ano de 2007.

Até abril, por exemplo, as contratações de financiamentos pela Caixa cresceram 126% em relação ao mesmo intervalo do ano anterior, atingindo recorde, com o empréstimo de R$ 19,6 bilhões para o equivalente a 323.268 famílias.

Este número avançou também no mês de maio. Até o último dia 10, o valor dos empréstimos já totaliza R$ 22,70 bilhões. Esse resultado é 123% maior do que o registrado no mesmo período de 2009, no valor de R$ 10,18 bilhões e quase o total do ofertado em 2008, quando somou R$ 23 bilhões.

Somado aos negócios previstos no “Feirão”, que deve movimentar cerca de R$ 3,5 bilhões, a instituição espera superar a marca de R$ 55 bilhões em volume de financiamento imobiliário, podendo chegar a R$ 60 bilhões até o final do ano. A taxa de inadimplência em financiamentos contratados com a instituição se manteve estável em 1,46% no mês de fevereiro, último dado disponível.

2010 – A expectativa é de novos recordes este ano. O programa “Minha Casa, Minha Vida” já registra 836,415 mil propostas de empreendimentos habitacionais. Até 26 de abril, foram assinados 417,814 contratos, no montante de R$ 23,5 bilhões em investimentos.

FGTS – Os candidatos à compra do imóvel que possuem o FGTS poderão utilizar o saldo para abater o financiamento ou para aquisição total, desde que a propriedade custe até R$ 500 mil. Além disso, o comprador não pode ter outro imóvel na localidade onde reside ou trabalha.

Os financiamentos também poderão ser efetuados pelos programas Carta de Crédito FGTS, aí incluída a modalidade Minha Casa Minha Vida, e Carta de Crédito Caixa, com recursos da poupança.

No caso de imóveis comprados pela Carta de Crédito FGTS, a renda do trabalhador não pode exceder R$ 4.900 e o imóvel precisa estar avaliado em até R$ 130 mil para regiões metropolitanas. Para os imóveis incluídos no Programa Minha Casa Minha Vida, a renda máxima familiar é de R$ 4.650.

DICA – O educador financeiro Reinaldo Domingos frisa que com o Feirão da Caixa muitas famílias vão atrás de realizar o sonho da casa própria, entretanto, sem o planejamento financeiro adequado e sem a preocupação com os custos extras que uma casa nova representa, essa pode ser uma armadilha para o endividamento.

 

Fonte: //www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=69757&codDep=3

 

Visite a Loja Virtual do Instituto DSOP de Educação Financeira