Desempregados ou por descontrole financeiro, devedores deixaram as contas se transformarem em bola de neve

Para ser considerado inadimplente, o consumidor deve atrasar o pagamento de uma conta em no mínimo 90 dias. Mas grande parte dos devedores de Fortaleza está em débito há mais tempo que isso. De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC) da Federação do Comércio (Fecomércio-CE), a maioria dos devedores (42,82%) tem dívidas acima deste período.

Desempregados ou simplesmente vítimas do seu próprio descontrole financeiro, os devedores não apenas deixaram de pagar as contas na data certa como permitiram que elas se transformassem em uma bola de neve, já que com o tempo os juros se acumulam e transformam pequenas parcelas em grandes valores.

Cenário

Desde 2007, o Brasil vive uma forte expansão de crédito. Até mesmo neste ano, com a crise econômica instaurada no País, a concessão de financiamentos ao consumidor só cresceu. Em abril, a média diária de empréstimos para pessoa física bateu um recorde histórico, chegando a R$ 1,028 bilhão por dia, de acordo com dados do Banco Central.

Com a maior oferta de crédito, tanto dos bancos quanto do comércio, ficou mais fácil para o consumidor se endividar e perder o controle sobre as prestações adquiridas. ´O problema começa pela maneira como o consumidor toma o crédito´, analisa Fábio Gallo, professor de finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV-SP).

Segundo o professor, a maioria das pessoas apenas avalia se a prestação vai caber no bolso. ´Isso funciona para o primeiro empréstimo. A partir do segundo, ela esquece de computar a primeira dívida e erra o cálculo. Aí não tem dinheiro suficiente para pagar.´

O primeiro passo, portanto, é se educar para evitar a inadimplência. ´As pessoas precisam saber exatamente quanto ganham e de que maneira gastam cada centavo´, alerta o consultor financeiro Reinaldo Domingos. ´A partir daí, podem ver quais são os gastos realmente necessários e quais podem ser reduzidos.´

Mas para quem já está inadimplente há muito tempo, além de organização nas contas, será preciso muita habilidade para conseguir negociar. ´Os credores costumam estar dispostos a estudar novos prazos´, diz Gallo. ´Mas quem deve apresentar a proposta de pagamento é o devedor´.

O professor da FGV indica que, antes de partir para negociação, é recomendável pedir ao credor que detalhe a dívida por escrito. ´Isso inibe o credor, e faz com que ele seja justo no cálculo do débito.´ Depois, cabe ao inadimplente analisar suas finanças e montar uma proposta que seja realmente viável. ´Não adianta apresentar prazos que você não vai conseguir cumprir,´ ensina.

 

Fonte: //diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=644942

 

Visite a Loja Virtual do Instituto DiSOP de Educação Financeira