Rio – Pesquisa realizada pela Fecomércio-RJ em parceria com o Instituto Ipsos mostra que o brasileiro ainda poupa pouco. Em julho de 2010, apenas 14% das famílias brasileiras tinham alguma forma de poupança. O percentual é o mesmo dos registrados em 2009 e 2008, e acima dos de 2007 (12%) e de 2006 (10%).

 

O levantamento “O perfil do poupador brasileiro” foi realizado em mil domicílios, situados em 70 cidades, incluindo nove regiões metropolitanas. Entre os poupadores, 46% economizam pela preocupação com o futuro; 19% para comprar imóvel; 11% para reformar a casa; 11% não tem um motivo definido; e 6% para comprar carro, entre outros perfis. Veja abaixo as opções mais simples que o brasileiro tem para investir o dinheirinho extra.

 

DICAS DE INVESTIMENTO

 

Tesouro direto

Para comprar títulos do Tesouro Direto, o investidor deve procurar um banco ou uma corretora. Com cerca de R$100 é possível começar a aplicação. Cada título tem uma correção diferente, que pode ser ou não prefixada. Nos últimos 12 meses, a maior rentabilidade foi de 21,42% e a menor foi de 9,26%. O site www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto tem todas as informações necessárias para começar a aplicar.

 

CDB

Os Certificados de Depósitos Bancários (CDB) são títulos emitidos pelos bancos para captar dinheiro e têm um rendimento médio de 0,7% ao mês

 

Poupança

O rendimento da poupança é pequeno (média de 0,5% ao mês) mas é garantido. Além do mais, a aplicação é isenta de Imposto de Renda (IR),

 

Renda Fixa

Os fundos de renda fixa rendem pouco mais do que a poupança, cerca de 0,8% ao mês. Mas é preciso ficar de olho na taxa de administração. Se for superior a 5%, o ganho final pode ficar comprometido.

 

Pela internet

Bancos costumam oferecer suas opções de aplicações pela internet. Essa é uma boa forma de pesquisar, sem precisar ir a cada um.

 

Avaliação

Para o educador financeiro Reinaldo Domingos, antes de investir, seja qual for a aplicação, é preciso avaliar bem o motivo do investimento e em quanto tempo se pretende resgatar o dinheiro. “No caso da renda fixa, por exemplo, é preciso saber que se trata de um tipo de aplicação recomendável para médio prazo, ou seja, acima de um ano. E é preciso ainda pesquisar em, pelo menos, três grandes instituições. Não despreze nem uma pequena variação. Muitas vezes, 0,01 ponto percentual pode significar milhares e até milhões ao fim de um longo período”, ensina Domingos.

 

Fonte: //extra.globo.com/economia/materias/2010/10/26/brasileiro-ainda-poupa-pouco-diz-pesquisa-veja-onde-aplicar-seu-dinheirinho-extra-922879102.asp