Educador financeiro vai ao shopping com a reportagem do Diário para ver como as pessoas fazem suas compras de Natal e dá dicas de como se planejar para não se perder.

Na ânsia de comprar um presente para a pessoa especial, muita gente não se preocupa com o que tem na conta – e sai gastando – à vista ou a prazo. O cartão de crédito entra em cena, e as pendências do próximo ano acabam esquecidas. A boa notícia é que os consumidores estão aprendendo a lidar com as finanças: fazem uma espécie de “bagunça arrumadinha” – ou seja, os gastos vão além da receita. Mas isso não é tão grave assim. A reportagem do Diário do Comércio levou o educador financeiro Reinaldo Domingos ao Shopping Frei Caneca. Ele conversou com os frequentadores no momento do “crime” e, em meio a sacolas e mais sacolas, eles descobriram os pontos negativos e positivos na própria postura diante da maratona no consumo natalino. E você pode aprender com essas histórias.

CONTROLE
A atriz Simone Gutierrez, mais conhecida como a secretária Lurdinha da novela Passione, da TV Globo, finalmente pôde falar à vontade. Ela foi fazer compras de Natal e detalhou como planeja seus gastos. “Eu sou difícil de colocar a mão no bolso. Mas quando gasto, faço estrago. Hoje, por exemplo, já deixei R$ 2,5 mil em produtos para mim nas lojas. E parcelo tudo, e não planejo nada.”

A afirmação assusta o educador Domingos. Mas Simone explicou melhor: Não preciso me preocupar porque estou no azul. Todo mês eu guardo 30% da minha renda. A última aquisição foi um apartamento, que termino de pagar em três anos. Depois disso, começo a pensar no futuro”, detalhou a atriz. Domingos só não deu nota dez para Simone por conta da aposentadoria. “As pessoas precisam priorizar o planejamento para ter uma velhice tranquila. A nota para Simone é nove.”

O BOM EXEMPLO
O tenor Marcelo Petry fez as contas: gastou aproximadamente R$ 3,6 mil com presentes, incluindo para ele próprio. Petry se presenteou com um microfone sem fio que custa R$ 2,6 mil – e pagou a vista, por ter planejado a aquisição e guardado o valor. “Além do agrado que fiz para mim mesmo, escolhi presentes para a família, e também para duas das cantoras da orquestra. Não parcelei nada – tudo em dinheiro. Não quero dívidas para 2011.”

O educador Domingos deu nota nove para o tenor. O consumidor tem uma renda mensal de R$ 2,7 mil e separa 30% do valor para investir. O motivo: realizar pequenos sonhos de consumo. O próximo é comprar um ear (retorno profissional de ouvido para músicos), no valor de R$ 3,7 mil. “Vou pagar a vista, por isso prefiro poupar. Antigamente vivia endividado, e nunca tinha dinheiro para viajar. Agora planejo tudo.”

Este foi exatamente o ponto que não rendeu a nota dez para Petry. “Ele merece parabéns por ser tão organizado com as contas. Mas faltou pensar no futuro, numa aposentadoria tranquila”, detalhou Domingos.

VIVENDO COM OS JUROS
A atriz e cantora Camila Abreu decidiu: vai deixar a maioria das compras para a última hora. Ela diz que quer gastar, no total, R$ 500. Mas já avisa: “se encontrar algo que me agrade, não me preocupo com o preço. Eu não me importo em pagar juros. Eles fazem parte da minha vida.”

Tanta sinceridade deixou o educador financeiro Reinaldo Domingos com o cabelo em pé. E Camila continua. “Para isso existe o cartão de crédito: para parcelar os valores dos produtos que a gente gosta.”

Antes de ouvir uma bronca, a alegre consumidora garante, porém, que nunca fez nenhuma loucura “grave”. Quando gasta além do que deveria, a cantora vai atrás de mais de trabalho, para cobrir as despesas. “Ainda não tenho poupança. Mas prometo que vou começar em 2011.”

Reinaldo Domingos deu nota sete para Camila. Ela tem muito que aprender – principalmente no que se refere ao pagamento de juros. Mas a cantora está num bom caminho, já que sai em busca de mais trabalho para cobrir as despesas. “E falta também pensar na aposentadoria. Ela precisa planejar o futuro.”

PLANEJAMENTO
Mesmo com algumas sacolas nas mãos, a auxiliar de limpeza Valdisia Ferreira da Costa garante que vai devagar quando está fazendo compras. Os números estão na ponta da língua: Ela pretende gastar R$ 400 com os presentes de Natal. Com um salário de R$ 1 mil, ela fez dois parcelamentos; somados com um já adquirido anteriormente, ela terá três – que vão comprometer R$ 200 da renda mensal.

A viagem para o Ceará, que fará com o filho Paulo Vitor, de cinco anos, já está paga: R$ 1 mil. “Eu guardei a primeira parcela do décimo terceiro salário. A segunda pretendo gastar para me divertir, durante a viagem”, afirmou Valdisia.

O educador Domingos deu nota sete para a consumidora. “O ponto positivo de Valdisia é que ela planeja. Mas o lado ruim é que ela não guarda dinheiro. Se ficar desempregada, a consumidora será obrigada a entrar no crédito, e rapidamente ficará endividada. Falta planejamento para o futuro.”

Fonte: //www.dcomercio.com.br/materia.aspx?id=58746&canal=3

 

Quer saber como comprar bem, realizar sonhos e evitar as dívidas? Então adquira o livro Terapia Financeira, que você pode encontrar na Loja Virtual do Instituto DSOP de Educação Financeira.