Ao entrar na universidade, alunos têm diversas preocupações financeiras como custo de transportes e livros

O sonho de fazer uma universidade acompanha a maioria dos jovens brasileiros. Porém, com a concorrência cada vez maior por vagas em universidades e com o sucateamento do ensino público no país, os estudantes ficam fadados a estudarem apenas nas faculdades particulares, ou precisam mudar de cidade. No caso das universidades particulares, existe um custo, que a mensalidade, o que sozinha, já pode levar muitas vezes o estudante e sua família à inadimplência.

Fora isso, os estudantes que entram nesse novo estágio da vida têm diversas outras preocupações financeiras. Diferente do que ocorria anteriormente no colégio, o número de livros e textos que o aluno tem que ler é muito maior; tem também o custo de transportes, e aumentam as baladas e os eventos sociais. O caso se torna ainda mais grave quando o estudante muda de cidade, nesse caso, ainda existe o custo de moradia, telefone, alimentação e viagens, afirmou o educador e terapeuta financeiroReinaldo Domingos.

Para economizar, o estudante deve reduzir o máximo possível a utilização de papel e cadernos, utilizando material de outros anos que tenham folhas em branco, uma boa dica é o uso de sulfites já utilizadas de um lado como rascunhos.

Em função do grande número de texto para ler, é interessante formar um grupo de estudos com colegas compartilhando textos, uma cópia de cada texto será suficiente para vários alunos, mas é importante que todos tenham o mesmo ritmo, para que não haja confusões. Também é importante utilizar as bibliotecas.

Não deixe de aproveitar as ‘baladas’ e confraternizações, mas selecione as que realmente valem a pena e as que são mais econômicas, uma boa dica é reuniões e encontros caseiros. Diversão não é sinônimo de gastos.

Sobre transporte, sempre existem os passes estudantis, utilize os transportes públicos. Se isso não for possível, busque revezar ou dividir carro com o maior número de pessoas possíveis.

Busque sempre ter uma reserva no fim do mês, são frequentes imprevistos que podem fazer com que tenha que parar com o curso por falta de dinheiro.

Caso não trabalhe, é a hora de buscar um estágio remunerado, além de ser bom para o currículo, o dinheiro que recebe poderá ser utilizado para reduzir os custos de sua família com a mensalidade ou outros gastos, e para que você comece realmente a conquistar sua independência.
Busque descontos nas mensalidades ou mesmo créditos educacionais, mas, lembre-se, esses terão que ser pagos no futuro, assim, já deve começar a fazer uma reserva extra.
Se for morar fora, busque morar em repúblicas com pessoas que tenha as mesmas condições financeiras que você e com um aluguel mais baixo possível, faculdade não é fase de status e sim de estudo.

Evite comer fora com frequência, cozinhar é uma solução econômica e relaxante, também, existe a possibilidade de levar lanchinhos em vasilhas ou mesmo os lanches naturais;
Por mais que a saudade dos familiares seja grande, a universidade é um momento de conquistar seu espaço, assim, não é necessário viajar todo o fim de semana, nem telefonar todo dia, mas, cuidado, ficar em outra cidade sozinho não é sinônimo de sair bagunçar e gastar, orientou Domingos.

Fonte://www.tribunatp.com.br/modules/news/article.php?storyid=8480

 

Estudante, você tem sonhos? O livro Terapia Financeira, disponível na Loja Virtual do Instituto DSOP de Educação Financeira pode ajudar a realizá-los!